Tá perdido?

Carregando...

Sobre nós

Curta!

Seguidores

Twitter

Siga por e-mail

Siga!

Eu leio Brasil

Pai bárbaro

Loja do leitor

Meise está lendo

Isadora está lendo

Blog Archive

Favoritos de Meise

Favoritos de Isadora

Tecnologia do Blogger.

Link us

Viciadas em Livros

Arquivo do blog

31 de julho de 2013

Top 9: Blogs sobre textos e outras aleatoriedades

Quem acompanha o blog sabe que nós temos promovido bastante os escritores nacionais nos últimos dias. Um exemplo disso é a Coluna do Escritor, onde você pode mandar textos de sua autoria para serem publicados no blog (clique aqui para saber mais).

Eu sempre gostei de textos, e, apesar de não escrever bem, admiro MUITO quem escreve. Não sei vocês, mas eu amo sentar numa dia qualquer e só ficar lendo o que eles escrevem, porque eu acho que isso me faz bem, de alguma maneira. Acho que todo mundo deveria conhecer esses blogs, porque inclusive eu os conheci através de indicações de outros sites também. Essas pessoas escrevem de uma maneira diferente e incrivelmente especial, afinal, há textos que simplesmente foram feitos pra gente, e os 9 blogs abaixo são donos de alguns deles.



Ai, gente, os textos da Camila são lindos demais. Ela conquistou muitos fãs ao redor do Brasil por sua escrita, sou uma leitora assídua do seu blog. Sempre me encontro em diversas linhas ou no texto como um todo.

De todos os blogs, acho que esse é o que eu acompanho há mais tempo. A Letícia é inspiradora, sério. Você pode facilmente se apaixonar pelo seu blog, pelos seus textos e pelas suas fotos. A Lê (olha lá eu sendo íntima, ai ai) tira fotos liiiiiiiiiindas, vocês podem conferir algumas aqui.



Sem dúvida, o blog mais criativo que eu conheço. Todos os posts publicados no "1001 Pessoas Que Conheci Antes do Fim do Mundo" são crônicas sobre pessoas que a Aline já conheceu e que, de alguma forma, mudaram a sua vida. Muito bom mesmo! ♥



Fotógrafa, blogueira, escritora e sonhadora: é assim que Juliane Bastos se descreve. O blog da Ju é uma fofura, é aconchegante, não sei explicar bem. Entro lá sempre que posso, principalmente quando estou triste. É como se a escrita dela fosse um consolo pra mim, encontro o que preciso nos seus textos ♥



Descobri esse blog recentemente e sou COMPLETAMENTE apaixonada pelo banner. Fala sério, esse layout vintage não é lindo? Apesar de não ser muito atualizado, visito o "Claramentes" sempre que posso e gosto de reler os textos que ela escreve (que, a propósito, são lindos demais). A autora se dá super bem com as palavras e isso é algo que eu adoro nos textos dela ♥

Juro pra vocês que quase morri de amores quando visitei o "Distraídamente" pela primeira vez. Eu acho que o layout tem tudo a ver com a Li (dona do blog) e seus textos, pois a maioria deles falam sobre o amor. A Lidia se apaixonou uma vez e "quebrou a cara" por causa disso, mas se não fosse por tudo o que aconteceu ela não teria esse blog que eu gosto tanto. Seus textos transbordam paixão e sinceridade, e eu já percebi que a Li é bem assim. Sincera, apaixonada, sonhadora... Conseguimos desvendar a sua essência lendo seu blog. Uma dica: se você está apaixonado (a), o Distraídamente é o blog certo para ler e acompanhar. Já li vários textos e certamente muitos (as) apaixonados (as) irão se identificar com o ponto de vista da Lidia em relação ao amor.



O mais legal desse blog é que ele é escrito por um menino - coisa que é bem rara hoje em dia. O Hélvio tem um talento imenso pra escrita e tenho certeza que iria abranger uma quantidade ainda maior de fãs se escrevesse um livro - estou esperando ansiosamente esse dia, pois estarei ali na fila de espera com o meu livrinho embaixo do braço aguardando o autógrafo de um dos meus blogueiros preferidos. Os textos dele já são mais românticos, muitos deles falam sobre finais (in)felizes, além de decepções - e desilusões - amorosas. Também é um ótimo blog para acompanhar quando está apaixonado.



Quando eu comentei sobre o blog anterior, disse que seria ótimo se o Hélvio escrevesse um livro, certo? Pois bem, a Maria Fernanda teve essa oportunidade. Nesse ano, a Fer publicou o seu primeiro livro chamado "Saudade em Preto e Branco", que eu estou looooouca pra adquirir. Ah, quem já quiser antecipar a minha compra e me dar de presente fique à vontade, ok? Hahaha. :P



Acho que vocês já conhecem esse blog, mas mesmo assim, acredito que vale a pena incluí-lo na lista. A Marcella escreve textos/crônicas incrivelmente bem, inclusive, ela já teve seus textos publicados em sites como o Isabela Freitas e o Hey Cute. Muita gente admira a Marcella pela sua escrita - inclusive eu - e acho que é outro blog que pode apostar num livro ♥

O que vocês acharam dos blogs? Já conheciam algum? Comentem ♥

Um beijo,
Isadora.
30 de julho de 2013

Top Ten Tuesday #8: começos/finais favoritos


   Olá, leitores! Quem vai fazer a tag dessa semana novamente serei eu, Renata.
   {Top Ten Tuesday é uma tag semanal originalmente publicada pelo blog The Broke and the Bookish. Todas as terças-feiras é dado um tema e eu terei que citar 10 livros (ou o máximo que conseguir lembrar) que condizem com o tema dado, além de falar um pouquinho sobre eles.}
   Hoje terei que descrever os livros que tem o começo/final que eu classifico como favorito ou tenha ambas as coisas... creio que seja isso, posso descrever cada um e tudo o mais. Já aviso que tem alguns spoilers aqui, portanto se não quiser sobre algum livro... enfim, vamos lá!

1. A cidade do Sol





  O livro até pode não começar lindo e tudo o mais, porque relata a atmosfera da vida de Mariam e sua infância, mas o final é emocionante e lindo! Aliás, o livro todo é simplesmente perfeito! Se você ainda não leu, precisa muito ler, porque é lindo demais. Eu até achei muito melhor do que "O caçador de pipas", talvez porque tenha depositado muitas expectativas nele, visto que li primeiro "A cidade do sol" e, como o autor é o mesmo, acabei me empolgando um pouco mais. 
   O fato é que a maneira como o autor relata a vida de Mariam - desde sua infância até o desfecho de sua vida, nos emociona. Adorei a maneira como ele fez com que a vida de Mariam e de Laila se cruzasse e tem muitas partes do livro que eu chorei, porque é realmente repugnante o que Rashid faz com ambas. O que acontece na vida de Laila é triste e feliz ao mesmo tempo, principalmente quando relata sua infância feliz ao lado de Tariq e sua família, e o que acontece depois que encontra Mariam.
   O final é o mais emocionante e adoraria compartilhar com vocês, mas prefiro que descubram. 



2. Veronika decide morrer


   Apesar de o livro todo ser filosofia pura, é lindo e emocionante! O final é mais lindo porque, confesso, não esperava que seria daquele jeito e sei que muita gente também imaginava o oposto do desfecho que o autor deu.
   O livro relata a vida de Veronika, uma mulher de 24 anos que tentou se suicidar e, depois de falhar, acaba sendo levada para um sanatório. A partir daí tudo na sua vida muda, porque ela descobre que tem poucos dias de vida. E o segredo está nessa parte do livro: o médico diz isso para ela, embora não tenha tanta certeza, porque ele está estudando o comportamento dos suicidas. 
   Por que ela quer se matar? Porque está cansada da rotina, da sua vida, das coisas de sempre, está depressiva, não gosta da vida, enfim. O livro procura trazer explicações para o sentido da vida e até fala que todos somos loucos, cada qual da sua maneira. Louco é aquele que vive na rotina de sempre, que não quer mudanças, que se adapta àquilo que a sociedade impõe e que é certo para ela. É aquele que aceita as coisas sem se opor.


3. Eu sou o mensageiro



   Impossível não se apaixonar por Ed. Kennedy e seus pensamentos insanos. O final desse livro é surpreendente e realmente é um daqueles livros que você fica pensando um tempão sobre o desfecho. Vou contar o por que.
   Ed. Kennedy é um cara comum, mas, de um dia para o outro - na verdade não é bem assim, é depois de um assalto em que ele vira o herói -, começa a receber cartas misteriosas que o fazem ajudar pessoas desconhecidas. O cara só tem 19 anos e ajuda pessoas que ele nem conhece, estranho, não? O fato que mais intriga é: quem está enviando essas cartas? E, por que essas cartas são, literalmente, cartas de baralho? Essas cartas contém endereços e nomes de pessoas que ele nunca viu na vida, mas ele vai atrás e acaba fazendo coisas por elas...
  O final é interessante porque desvenda quem é autor das cartas. (nossa, meio óbvio né! haha)



4. Os 13 porquês

   Não foi um livro que eu amei, mas o final é um dos meus favoritos. Na verdade, não necessariamente o final, mas o motivo que levou o título do livro - Os 13 Porquês.
   O livro conta a história de uma menina que se suicidou e, antes de se matar, ela gravou 13 fitas cassetes para 13 pessoas diferentes que fizeram com que ela se matasse. Aí, implica principalmente o tema bullying, que é o motivo pelo qual a menina se mata. Mas o final é intrigante porque as fitas começam a ser enviadas para as pessoas depois da morte dela, e quem está enviando-as? Quando descobrimos isso, fica tudo claro. É um livro bem interessante.






5. A Última Nota



   O final me surpreendeu e é um dos meus favoritos porque adoro final inesperado. Sério, tem livros que você fica horas tentando desvendar o final e tudo o mais, e nem consegue chegar perto! Já fiz resenha dele aqui no blog, portanto não vou reescrever... Quem quiser conferir, clique aqui













6. A Moreninha

   Eu adorei esse livro, é um dos meus preferidos da Literatura Brasileira. Tive que ler para a escola, claro, mas não deixei de amar. É uma história linda entre A Moreninha (Carolina) e Augusto... e uma história antiga. Embora a história seja simples, não deixa de ser linda e bem narrada (as palavras esquisitas que não costumamos usar são bem compreendidas e não interferem tanto assim na leitura, como acontece com
outros livros de literatura brasileira).
   O me espantou foi a diferença de idade entre eles, mas pensando bem, nem é tanta assim... mas para Carolina casar, é um tanto quanto estranha, embora naquela época era comum demais. 
   O final é um retrospecto da vida de ambos: eles já se conheciam, porém não recordam; ou será que sim? Mas tem mais coisa aí, e isso eu não vou contar rsrsrs.




7. Dom Casmurro

   Outro clássico que eu adoro. Conta a história de Bento, um jovem que foi prometido para ser padre por sua mãe, e Capitu, sua paixão. O fato é que esse livro não tem um final concreto: ninguém sabe se o desfecho é de um jeito ou de outro. Está bem, se você nunca leu não entendeu o que eu tentei dizer, claro. Mas a história é toda envolvente, quem é que nunca leu aquela frase que Bentinho caracterizou Capitu como tendo "olhos de cigana oblíqua e dissimulada?"
   Bentinho foi "estudar para ser padre" e lá conheceu Escobar, que viria a se tornar seu grande amigo. Só que Bento não terminou o "estudo" e deu outros rumos para sua vida. Cortando um pouco a história, o que acontece é que Bentinho e Capitu casam-se e Escobar acaba casando-se com a melhor amiga de Capitu, Sancha. Até aí o livro corre normalmente.
  O que intriga os leitores é: depois de um tempo, Sancha e Escobar tem uma filha. E, depois de mais tempo ainda, Capitu e Bentinho tem um filho, Ezequiel. E Bentinho começa a perceber traços no filho que nem ele e nem a mãe tem, logo pensa que o mesmo se parece com seu amigo Escobar. Aí, o livro fica maluco, porque ele crê que Capitu o traiu e tudo o mais e acaba sendo uma incógnita em relação ao fim, mas é isso que o torna interessante. Não podemos ter certeza se Capitu o traiu ou não, porque não temos a versão dela, e há quem diga que Bentinho estaria louco, mas vai saber, né?

8. Projeto Sunlight
   
   Esse é um livro que tem no projeto que eu faço parte, cuidando da mini biblioteca do mesmo. É um projeto da Igreja Adventista, e os livros são bem legais. Os adventistas do Sétimo Dia tem crenças um pouco diferentes das outras religiões, mas a mais conhecida e mais discutida é a guarda do sábado. Segundo a bíblia, é sétimo dia é o Sábado, e foi nesse dia que Deus abençoou, santificou e descansou. Na bíblia esse é o quarto mandamento, "Lembra-te do dia de sábado para o santificar". Não sou adventista, mas já frequento essa igreja há dois anos e gosto de lá, apesar de não guardar o sábado.
  Enfim, o livro conta basicamente o que eles creem, mas de uma forma diferente. Sunlight é uma mulher que obviamente não tem esse nome, mas foi chamada assim por um anjo; esse anjo disse que mudaria a vida da primeira pessoa que cruzasse uma esquina famosa - que eu não lembro qual era -, e essa mulher cruzou e foi batizada pelo anjo como Sunlight. A partir daí, o anjo tenta convertê-la para a religião Adventista. 
   É interessante porque você acaba conhecendo mais sobre a religião, é um aprendizado na verdade, como se vocês estivesse num culto, entende? Eles acreditam na bíblia e o livro é todo baseado no livro de Apocalipse, embora cite trechos de outros. O final desse livro é lindo e emocionante, e até medonho, embora eu já sabia do final porque, na Escola Sabatina (onde tem o projeto da biblioteca), eles já tinham me contado. Mas é uma boa pedida pra você que tem curiosidade em conhecer um pouco mais sobre a religião.

9. Virtude Indecente


   Adoro esse livro porque foi um dos primeiros da Nora que eu li e o final é legal até. Tudo bem que não chega a ter um final perfeito, mas é um dos meus favoritos. Fiz resenha dele há um tempão e não vou comentar aqui, portanto, se você quiser conferir, clique aqui.













10. A Pousada do Fim do Rio

   É lindo, lindo, lindo! Do início ao fim, é lindo e emocionante, a Nora é uma ótima escritora e esse livro é apaixonante e envolve tanto sentimento controverso! O final é interessante, porque você descobre o que aconteceu realmente na vida de Olivia na noite em que sua mãe foi assassinada. Descobre o assassino. Se surpreende. Chora. Gente, chora, sério, é lindo, não tenho como descrever a emoção que esse livro passa para os leitores. Fiz resenha dele também, leiam! Mas leiam principalmente o livro, porque sério, é um dos meus favoritos. 











   É isso pessoal, espero que tenham gostado! Se vocês concordam comigo, comentem! Se não concordam, comentem também!

Beijos,
Renata.
28 de julho de 2013

Priscila Veiga e o Pri Vs Hodgkin

Olá, pessoal!

O post de hoje é um pouquinho diferente: navegando pelo grupo Depois dos Quinze, conheci o blog de uma menina chamada Priscila Veiga, que luta contra o câncer e tenta da melhor forma possível ajudar as outras pessoas que também passam por isso. O "Pri Vs Hodgkin" é uma espécie de diário, nele, a Pri conta como tudo está sendo pra ela, tudo o que acontece, enfim, deixa todos os leitores atualizados sobre a sua "pequena" luta contra o câncer.

Quando eu conheci a história da Pri, fui imediatamente conversar com ela e perguntei se ela poderia fazer um relato pro blog contando como lida com essa situação, como é a sua vida agora, etc. Vamos conferir o que ela escreveu pra gente:


"Em 2011 minha sogra teve câncer de tireóide, e assim que ela voltou pra casa notei que tinha um nódulo no meu pescoço, perto da clavícula. Perguntei para a madrinha do meu namorado que é enfermeira e ela disse que poderia ser apenas uma inflamação nos linfonodos e que iria sumir, e, caso não sumisse, eu deveria procurar um médico.

Um ano se passou e os linfonodos não desincharam. Eu, como sempre, levei na brincadeira e deixei de lado. O tempo passou e aquela “bolinha de gude” que tinha no pescoço virou uma bola de tênis. No dia 30 de novembro, meus pais chegaram de viagem e viram que crescia a cada dia. Nisso, marcamos uma consulta com a endocrinologista.

A consulta foi muito rápida, a médica não sabia ao certo o que poderia ser então pediu uma punção e uma ecografia. O tempo passou, fiz a ecografia e assim que saiu o resultado mostrei para a minha família. Meu avô resolveu levá-los para mostrar pra uma amiga da família que é médica e poderia decifrar aquela linguagem para nós muito complicada. Ela aconselhou que eu procurasse um cirurgião de cabeça/pescoço e um oncologista.

         Fui até a emergência de um hospital procurando o cirurgião. Me consultei com um cirurgião-geral, mas ele não poderia fazer nada, recomendou apenas que eu procurasse um cirurgião especializado em cabeça e pescoço e me disse que seria necessária uma punção que, nesse caso, deveria ser uma punção aberta, uma mini cirurgia.

       Marcamos uma consulta com um Hematologista e no dia marcado estávamos lá, esperando e esperando. A consulta foi bem rápida. Apenas se baseando no toque e na evolução da "bola", ele me deu duas suspeitas: Linfoma de Hodgkin ou Linfoma Não-Hodgkin. Mandou mais alguns exames.

         Marquei, então, a consulta com o cirurgião, o Dr. Amário Barros, e agendamos a cirurgia da biópsia para o dia 01 de fevereiro. Foi tudo muito rápido, não dava tempo de pensar em nada. Ainda mais porque eu estava com uma viagem marcada com meu namorado para Buenos Aires no dia 05. Uma viagem para esquecer tudo isso, pensar em coisas boas e principalmente aproveitar a vida porque o Dr Alexandre já havia me avisado que se confirmado o tratamento seria de, no mínimo, 6 à 8 meses de quimioterapia.

          Eu estava em Buenos Aires quando, no dia 15 de fevereiro, saiu o resultado da biópsia e com ela a confirmação de que eu estava com Linfoma de Hodkin. Claro que receber o diagnóstico foi uma notícia difícil de aceitar - afinal, não era uma gripe qualquer - e, nesse momento, um turbilhão de coisas passam na sua cabeça. Por que comigo? Por que com a minha família? Por que Deus me escolheu? Como será o dia de amanhã? E o principal: o que é essa doença? E aí, junto com meu namorado, vi vários blogs sobre esse assunto, o que me acalmou bastante. Percebi que não adiantava ficar triste, chateada ou com raiva. Eu deveria aceitar e seguir minha vida, seguir feliz porque é uma doença que TEM cura.

         Chegamos de viagem e logo tive uma consulta com o querido Dr. Alexandre para me explicar sobre o tratamento. Eu pensava que sabia alguma coisa sobre quimioterapia. Mas realmente cada dia é uma novidade, cada sessão meu corpo reage de alguma forma e assim vou seguindo. 
      A verdade é que todo mundo se surpreendeu comigo. Até eu mesma. Não achava que iria levar na boa uma coisa tão difícil. Mas foi bom, assim percebi que a nossa vida é curta, que temos que aproveitá-la. Ficar chorando por coisas pequenas? Pra quê? Ficar se lamentando porque hoje está frio e ontem estava quente? Não. Vamos ser felizes, porque ser feliz é o que importa.

      E é isso que tento passar pra todos. Que eu estou bem, que eu estou feliz da forma com que tudo isso aconteceu. Claro que às vezes eu dou uns surtos, choro e fico triste, mas eu tenho esse direito. Eu  posso ficar triste, eu posso chorar, mas só se depois de tudo isso eu colocar um sorriso no rosto e sair como se nada tivesse acontecido."

As "fases" do cabelo da Pri. Ela continua linda de qualquer jeito, né? ♥

Bom, agora que vocês já conhecem a história da Pri vou mostrar alguns posts que ela fez pro blog pra vocês entenderem mais ou menos como tem sido pra ela. Vou deixar do lado também o nome do post e quando ele foi publicado, caso vocês queiram ver a postagem completa.

"[...] Quando eu descobri que estava com câncer a primeira coisa que pensei foi: meu cabelo. Eu não ligo pro cabelo, nunca liguei. Não era do tipo que ficava indo ao salão pra fazer hidratação, escova ou qualquer coisa do tipo. Fazia minha hidratação em casa, comprava qualquer shampoo no mercado e era feliz assim. Tanto é que antes de começar a quimioterapia eu já cortei ele bem curtinho.
    O engraçado é que com o tempo e a perda do cabelo você aprende a conviver com as falhas dele, aprende a usar ele de um novo jeito, arruma aqui, arruma ali e tá tudo certo.
     Claro que não são todas as pessoas que ficam totalmente carecas, depende da medicação e principalmente do corpo de cada um. A única coisa que sabemos é que ele cai.
     Logo depois que pensei no meu cabelo e nas possibilidades de ter que raspar ou não veio outra coisa na minha cabeça: lenços. Acho LINDO, sempre achei e fiquei muito feliz em saber que agora eu poderia usar sem ser vergonha. Eu até arrisco sair de vez em quando, mas tenho muita vergonha pra isso, hahaha.
     O legal do lenço é que você pode usar pra tampar a "carequinha" ou até mesmo pra compor um look, usando ele no pescoço, bolsa, infinitas possibilidades. [...]" {"Lenços" - 03/07/2013}

"Aprendi a conhecer os efeitos dos medicamentos e, tomando meus comprimidos contra enjoo na hora certa, já não é sempre que vomito. Não vejo meu tratamento como um inimigo peçonhento, mas sim, como um amigo esquisito que com uma mão dura me faz melhorar. E corto logo quem vem me falar mal da quimioterapia. É a minha doença, minha luta, meu campo de batalha, minha vez."
A menina das nove perucas
  "Mudança. Um palavra que esta convivendo muito comigo. A cada dia que passa aprendo algo novo e dessa forma acabo mudando.
   Mudar o meu jeito de agir, pensar, escrever, enfim, viver. Desde que descobri que tenho câncer tento tolerar mais a vida, aceitar coisas que eu normalmente não aceitaria e percebi que isso foi bom pra mim. Eu precisava de mudança. Precisava de um empurrão pra tocar a vida.
    Minha cabeça não é a mesma, meu corpo não é o mesmo, meu cabelo não é o mesmo. A única coisa que permaneceu foi a minha essência, essa sim nunca vai mudar. 
   Ok, vamos ao motivo do post. Ontem alguns amigos foram lá pra casa e eu acabei dormindo tarde demais (quase 4h da manhã) e isso pra mim é MUITO difícil porque sou acostumada a dormir cedo. E sempre que durmo tarde acordo de mau humor. Hoje não foi diferente. Apesar de ter sobrado cookie e eu ter comido de café da manhã (o que me deixou extremamente feliz por um momento, obrigada Isadora), hehehe. Almocei e dormi, assim, não iria brigar com ninguém, afinal, ninguém merece ter que me aturar mau humorada.
    Quando acordei resolvemos ir em uma feira de exposições (aka EXPOTCHE) porque eu queria muito comprar chocolate (chocolate de Gramado <3). 
   Eu não esperava achar nada lá, achava que ia ser normal, como todo ano. Porém, algo me pegou desprevenida: uma loja de perucas. 
   Já disse varias vezes que não sou apegada ao meu cabelo, por mim tinha raspado há muito tempo. Sempre falo da boca pra fora... Essa semana fiz a minha nona sessão de quimio e foi muito difícil porque meu cabelo caiu bastante. Na verdade, faz umas duas noites que vou dormir pensando que "o grande dia está chegando". 
    O lance é que eu sempre fui contra perucas. Meu avô ofereceu comprar uma pra mim assim que comecei as sessões, uma amiga da minha mãe ia viajar para os Estados Unidos e ofereceu uma peruca e eu disse não. Que eu nunca iria usar uma coisa tão "artificial".
    Bem, hoje eu mudei. Quando coloquei uma peruca preta me senti como em um filme. Uma sensação boa, difícil de explicar, parecia que ali era outra pessoa, um outro eu. Era uma sensação que não sentia desde que descobri o câncer. Era como se ali fosse uma Priscila sem problemas, querendo apenas curtir a vida.
   Isso mudou a minha noite, ou melhor, o meu dia. Fiquei feliz, e decidi que vou sim usar peruca. E aguardem, esse dia está quase chegando. Vocês irão ver a versão "A menina das nove perucas" estrelando: Priscila Veiga.
    Enfim, mudanças são necessárias e agradeço por ter percebido isso há tempo. [...]" {"Mudança" - 14/07/2013}

Sabe, eu fico pensando em quantas pessoas a Pri está ajudando nesse momento. Eu leio os comentários que ela recebe, e eu fico muito feliz porque ela está feliz. É bom ver a energia que ela passa, mesmo com tudo o que acontece. É tão bonito o que ela está fazendo, pessoal. Isso motiva tantas pessoas do Brasil inteiro que também lutam contra o câncer. E, agora, eu também estou acompanhando o Pri Vs Hodgkin. Ela expõe os seus sentimentos de uma maneira tão intensa que é como se eu a conhecesse há anos. E estou compartilhando tudo isso com vocês porque acredito que seja uma forma de reflexão. A Pri mostra todos os dias que, mesmo com essas coisas acontecendo com ela, não adianta ficar triste. Não adianta sentar e ficar se lamentando, não adianta ficar chorando pelo que já aconteceu, e não adianta ficar irritada. Não adianta colocar a culpa em Deus, ou então achar que você fez algo errado, não adianta colocar a culpa em si mesma! Ela é um exemplo pra muita gente por aí. Muita gente que desaba por um problema qualquer. Muita gente egoísta, fútil e que não sabe aproveitar o que tem.

“Não acho que tenhamos de entender o que acontece o tempo todo. Eu acho que, às vezes, é preciso simplesmente ter fé.”


Um beijo,

Isadora.
27 de julho de 2013

TAG: Como eu leio?

Oi, gente!
Vi essa tag no blog da Hannah Mila e achei bem legal, então resolvi fazer. Não sei quem criou essa tag, mas se alguém souber, me avisem, por favor, hihi.


A Aquisição
1- Sempre compra você mesmo(a) seus livros ou tem anjos da guarda? Se tem, quem são eles normalmente?
Eu normalmente compro meus livros, mas sempre tem alguém que me dá um livro de presente de aniversário (♥).
2- Gasta quanto (em média) por mês em livros? Já estourou o cartão de crédito com livros?
Não sei ao certo, porque tem meses que eu compro um ou dois livros e tem outros que eu compro uns dez de uma vez. Então eu diria uns 50 reais, vai. E não, nunca estourei porque não tenho. =P
3- Consegue livros emprestados com frequência? Se sim, quem te empresta normalmente?
Às vezes, mais para quase nunca. Eu gosto de ter os livros pra mim, mas quando pego um livro emprestado, normalmente é da minha amiga Yasmine.

O Deleite
1- Lê em média quantos livros por mês?
Entre 3 e 5 (sou lenta mesmo, me julguem).
2- Lê em média quantas páginas num dia da semana? E nos fins de semana?
Em um dia de semana vai entre 10 a 40 páginas e no fim de semana vai de 30 a 100 páginas, depende muito de quanto eu preciso estudar. :(

O Local do Crime
1- Consegue ler em local movimentado?
Se eu estiver sozinha ou com meus fones de ouvidos, eu consigo, mas não passo de 15 páginas.
2- Prefere ler na mesa, sofá, no chão ou na cama?
Sofá e cama.
3- Qual a hora do dia que prefere para ler?
De tarde e antes de dormir.

Os Impedimentos
1- É solteira? Se não, seu namorado, noivo, esposo, te dá espaço para ler?
Solteira.
2- Lê no trabalho? Se sim, qual emprego dá essa dádiva de ler na hora de serviço?
Sou estudante, mas às vezes eu leio na escola, nos intervalos de aula, que duram uns cinco minutos cada.
3- Já deixou de sair com a galera só pra ler aqueles capítulos irresistíveis?
Já cheguei atrasada nos lugares porque estava lendo, mas acho que nunca cheguei a cancelar algo ou deixar de ir.

As Insanidades
1- Já sonhou ou teve pesadelos vivendo a história de um livro? Qual foi o livro?
É muito raro para eu sonhar, mas eu sonho MUITO acordada com t-o-d-o-s os livros que eu leio.
2- Qual a maior loucura que já fez ou que faria para conseguir um livro?
Acho que comprar de uma loja qualquer pela internet, não sei. lol
3- Já chorou ao terminar um livro? Foi de felicidade ou tristeza? Qual foi o livro?
Já chorei em vários, seja no fim ou no meio, então não lembro de todos, hehe.


Quem quiser fazer essa tag, à vontade. Deixem os links nos comentários para eu poder ler depois. :)
xxxx

Resenha: Nudez Mortal

Título: Nudez Mortal
Autora: Nora Roberts
Ano: 2004
Número de páginas: 350
Editora: Bertrand Brasil


Minha opinião: Sou suspeita em falar da Nora, porque é uma das minhas autoras favoritas.
   "Nudez Mortal" é o primeiro livro da série lançada pela autora, que escreve como J.D Robb; a série chama-se "Mortal". São muitos livros, mas para começar comprei o vira vira dos dois primeiros (até porque, fala sério, mesmo eu amando a Nora não sou louca de pagar R$ 45,00 por cada livro da série. E vira-vira até que é legal, é livro mesma coisa oras, é a mesma história rsrs).
   Nesse primeiro livro, Eve Dallas é uma policial que teve uma vida um tanto conturbada - partindo da informação que o livro se dá no "futuro", lá pelo ano que, creio eu, seja 2024 ou até mais tarde, porque não especifica no livro, Eve foi abusada pelo pai e abandonada pela mãe; o pai vivia mudando-se de cidade com ela e um dia a abandonou. Desde aquele dia Eve não sabe o que aconteceu, só foi encontrada e derem esse nome para ela.
   Eve precisa solucionar um caso: o assassinato de uma prostituta. Para ser mais específica, o modo como a mesma foi morta é extremamente intrigante, porque o assassino atira primeiramente na cabeça e, por último, na sua genitália; além de ter gravado tudo, deixou um bilhete onde escreveu: UMA DE SEIS. Poderia ser um caso como qualquer outro, afinal, naquele ano haveriam muitas prostitutas legalizadas, se não fosse por um detalhe: a mulher era Sharon DeBlass, neta do senador.
   A atmosfera do livro é bem do jeito que eu gosto: investigação policial misturada com mistério e romantismo. Mas não muito romantismo, viu? Eve acaba conhecendo Roarke, um homem dono de muitas empresas, bens, rico mesmo! E sabe o que é pior? Ele é um dos suspeitos do crime.
   No começo, você pensa que é uma coisa, depois começa a pensar outra e fica em choque com o desfecho. Intrigante demais.
   O assassino mata sua segunda vítima e novamente segue o mesmo padrão: a vítima é uma prostituta, ele atira na genitália dela, grava toda a ação, deixa um bilhete: DUAS DE SEIS. Mas, dessa vez, a vítima é uma prostituta qualquer, de 18 anos.
   Você fica na expectativa, pensando se o assassino vai assassinar seis prostituas ou menos; fica tentando descobrir quem é o cara e por que ele fez tudo aquilo.
   E no meio de tanto assassinato e mistério, Eve e Roarke se apaixonam. Ela acaba arriscando seu distintivo por isso, mas não se importa. O legal é que o modo como a autora escreveu não faz parecer que é algo meloso demais - até porque Eve é extremamente durona e Roarke é mistério puro e ao mesmo tempo tão meigo.
   Confesso que tive que dar uma olhadinha no segundo livro só para me certificar de que Roake estaria ainda lá, e está! hahaha.
   Acaba tornando-se uma leitura rápida, ainda mais quando o foco é o que você gosta e espera: o crime e o desfecho do mesmo. Mistério e romance caminham juntos, como eu disse acima.
   Ah, a coisa mais legal da série é que os livros não são continuação um do outro, então você não precisa ficar preocupada se vai ou não poder comprar o próximo livro, porque eles são "independentes" e essa é uma das coisas que eu mais gostei e pensei muito antes de adquirir os dois primeiros livros da série. 

Fiquem com um quote minimamente meloso e ao mesmo tempo fofinho rsrs:




Classificação: 

Beijos,
Renata.
26 de julho de 2013

Resenha: The 39 Clues - O Labirinto de Ossos

Titulo: The 39 Clues - O Labirinto de Ossos
Páginas: 240
Autor: Rick Riordan
Editora: Editora Ática

Sinopse: Imagine se você descobrisse que faz parte de uma família de personalidades que mudaram a História. E imagine se, no minuto seguinte, você tivesse que escolher entre herdar um milhão de dólares ou a primeira de 39 pistas para encontrar o maior tesouro do mundo. Essa é a decisão que os órfãos Amy e Dan Cahill devem tomar em apenas cinco minutos.
Os irmãos queimam seus cheques e se lançam na busca das 39 pistas. O que eles nem imaginam é que seus maiores inimigos serão os próprios Cahill, uma família dividida em clãs e capazes de qualquer trapaça para chegar ao tesouro.

 Opinião: Antes de compartilhar minha opinião com vocês, vamos ficar a par de como se funciona está série... A série é composta por duas fases, a primeira já completa com 10 livros publicados, sendo que o primeiro é este que eu vou resenhar para vocês! A segunda fase ainda está em lançamento, e possui até agora 3 volumes. Os livros são escrito por autores diferentes (Rick Riordan, Gordan Korman, Peter Lerangis, Jude Watson, Patrick Carman, Linda Sue Park e Margaret Haddix), e é publicada no Brasil pela editora Ática (e é por isso que o preço dos livros são salgados). Bem, quem gosta de suspense, informação, pistas, um estilo Dan Brown e a história do maior bruxinho de todos, está é a sua série. No inicio não dei muita fé na série não, mas de tanto um amigo insistir, resolvi pegar emprestado dele e ler. Eu creio que quando um livro é realmente bom, o crítico fica sem palavras para expressar o quanto ele é bom. Eu digo que quando um livro merece respeito é quando ele lhe tira as palavras. Não tem como eu dizer um ponto negativo e outros positivos, não tem como, o livro é realmente bom! Você viaja o mundo inteiro com os irmãos Cahill e se diverte. Dan com 11 anos, piadista, com uma memória ótima e bem esperto para sair de situações complicadas. Amy, 14 anos, irmã de Dan, viciada em livros e com uma inteligência inigualável. Neste volume, você conhece toda a família Cahill e se surpreende em saber que Benjamin Franklin é primo deles. Você se surpreende em saber dos pontos turísticos que você pode visitar. Rick Riordan escreve muito bem neste volume, ele criou uma narrativa leve, rápida e muito, muito envolvente! Se vale a pena pegar 40,00 reais ou mais neste livro? Vale, e muito. Além de ser uma ótima série, a junção delas fica l-i-n-d-a-s na estante. No 2º volume da série, os irmãos conhecem outro famoso que faz parte da família, uma família que mudou o mundo, ajudou na formação da civilização e agora, tem o poder de mudar o mundo outra vez.  Este é realmente um livro surpreendente.

Beijos, Carol!

Coluna do Escritor #2: Loucura Contagiosa - Camille Carboni

Foto por Camille Carboni

{A "Coluna do Escritor" é uma coluna onde divulgamos o trabalho de escritores nacionais. Se você escreve textos/crônicas, pode mandar pra gente através da aba Contato do blog ou pelo e-mail (viciadas-em-livros@hotmail.com). Se gostarmos do seu texto, ele será publicado no Viciadas em Livros juntamente com o seu blog (se tiver) e redes sociais. Saiba como enviar a sua crônica aqui.}

Bom, como vocês sabem, nós decidimos voltar com a Coluna do Escritor e fiquei muito feliz por termos tido essa ideia porque quando abrimos a caixa de entrada do blog nos deparamos com um texto lindo que tenho certeza que vocês irão gostar. Ele foi escrito pela Camille Carboni, que tem um blog encantador chamado Galeria de Encantos (aliás, não deixem de dar uma passada por lá. É aquele tipo de blog que merece ser lido sempre). A Camille, além de escrever lindos textos, também tira fotos M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A-S (inclusive, a foto desse post foi tirada por ela). Vamos conferir o que ela escreveu? ♥

Loucura Contagiosa

"E se há mesmo alguma coisa me esperando fora dessa monotonia, espero que seja como aquelas pessoas consideradas loucas, essas sim, que sorriem com os olhos mesmo quando pode-se ver lágrimas neles, que agem como se tivessem a chance de adivinhar o próximo passo e deixam o amanhã sob o presente. Loucas que não decifram as singularidades da vida, apenas conseguem entender e não perdem tempo com o que não há lógica em entender, porque ora, existe racionalidade nas caminhadas em círculos? Essas que sabem que cada palavra é digna de uma nota musical, que a vida não espera e o futuro só depende delas mesmas, essas que são tão seguras a ponto de quase não questionar sua existência, falam demais até quando o silêncio é o mais apropriado e sofrem de felicidade crônica. E espero que esta seja contagiosa, assim como o otimismo visível em cada frase de vontades idealizadas e a cabeça erguida para quaisquer situações imersas em empecilhos.
Mas no fundo, só espero que minha teimosia saiba ceder aos encantos de tantas divergências e aprenda a lidar com uma manhã tão ensolarada após anos de tardes cinzentas e chuvosas, braços abertos depois do costume com a frieza e a lábios curvados sem hesitação. Só espero que a flexibilidade passe a ser rotina e que loucuras, virais."

Camille Carboni

Sobre a autora

"Apaixonada. Por capturas de imagem e suas subliminaridades, por palavras e seu mundo de possibilidades, por moda e suas expressões mais que artísticas, por livros e seu aroma, que me levam a novos mundos toda vez que permito meus olhos admirar mais um parágrafo, por questionamentos e a loucura decorrente, por olhares e sua magnificência, por música e sua calmaria, por novidades e o aprendizado em analisar com novas possibilidades, na verdade tão antigas... Então acho que talvez escrevo porque não sou capaz de encorajar-me a adicionar voz para essas palavras, ou simplesmente porque o encanto da escrita sempre me foi maior do que sua diversa entonação. Porque é a melhor forma de expressão por meus dedos encontrada, porque a probabilidade de descrever minha paixão pela vida torna-se mais vívida e digna de reflexões nos mais diversos pontos de vista."

Pra quem quiser conhecer melhor a Camille, aqui vão algumas redes sociais dela: Blog | FacebookTwitter  | Flickr | Wattpad

Lindo texto, né? O que acharam? ♥

Beijos,
Isa.

Porquê

O que me tornei?. No que, corrigindo. Numa pessoa fria, que se fecha, que bloqueia passagens, que não dá oportunidades, que tem nojo e se sente invadida quando a sociedade a obriga esbanjar uma simpatia que já não existe. Que mastiga e deglute com um gosto insuportável passar horas ao lado de outro alguém, rindo, jogando conversa a torto e direito. Inútil para mim. 

Não sinto necessidade e não sei como lidar com quem maneja todas essas artimanhas para meu lado. Quem me conhece bem, ou já prestou a verdadeira atenção nos meu atos, percebe que fico incomodada no meio de muitas pessoas, de muitos sorrisos, que perco o chão e não falo nada, só penso, e muito. São muitos pensamentos mal resolvidos trancafiados por uma boca bem disciplinada, são olhos que não se cansam, de um lado para o outro, e para o lado contrário, são mãos inquietas procurando a tranquilidade que só um quarto fechado trás, e no demais, alguns gestos que tentam, frustradamente o consolo daquele que entende e está para a vida toda a me curar.

Quando e o porquê de ter me transformado nisso eu não entendi até hoje, só sei que me sinto melhor sozinha, plenamente sozinha. Talvez eu tenha me acostumado e não sei voltar atrás. Penso que esta é a resposta mais correta encontrada até agora.

Mas não acreditem que não há por quem me cativo. Graças a forças mais poderosas que eu mesma. Por elas lembro de como era e em certos momentos me transporto para um tempo onde tudo era mais eu, onde era embalada por sonhos e expectativas que infelizmente hoje visualizo de outra maneira. Mas a vida é assim, espero. Talvez este consolo não seja o correto, de fato não sei nada sobre o porquê e a real intenção dessa palavra. Vida.
25 de julho de 2013

25 de julho: Dia do Escritor

  Olá, leitores! Dia 25/07 é o dia do Escritor Brasileiro e, como eu não sou escritora (e nem vocação pra isso eu tenho haha), resolvi fazer um post um tanto diferente...
   Quero dizer Parabéns! Parabéns pra você que passa noites em claro escrevendo; que vive com um bloquinho de anotações por perto porque não pode esquecer o que acabou de pensar; que tem uma imaginação um tanto fértil; que passa horas na frente do computador porque precisa terminar aquele capítulo; que cria personagens inesquecíveis; que fica triste ou chora por ter que matar um dos personagens; que compartilha conosco suas alegrias e tristezas; que, como nós, adora um bom livro; que passa dias lendo e relendo o que escreveu; que tem ideias malucas, porém perfeitas para um livro. Parabéns pra você que se esforça ao máximo para ser reconhecido; e consegue! Parabéns pra você, escritor, que passa dias, meses e até anos escrevendo um livro ou saga, não simplesmente por escrever, mas sim pelo amor e carinho que tem pelas palavras.
   Parabéns e Obrigada! Sim, obrigada por fazer nossas vidas terem algum sentido - afinal, já dizia Voltaire: a leitura engrandece a alma -, obrigada por confiar em nós, por "perder tempo" com a gente de vez em quando, pela paciência aparente e sincera quando fizemos perguntas bobas e óbvias. Obrigada pelo carinho; por conseguir confortar nossos corações com passagens de seu livro; por provocar emoções intensas e contraditórias; pelos autógrafos - porque vocês não veem nossos pulos de alegria ao ver um livro autografado - ; pelas belas palavras; pelas noites mal dormidas; obrigada por ter escolhido essa profissão que, apesar de não trazer tanto retorno financeiro, consegue trazer alento e amor por parte de nós, seus leitores.
   Eu poderia escrever mil coisas - apesar de nem ser boa com as palavras - mas nada vai conseguir expressar o meu prazer em poder ler seus livros. Escritores, escritoras, nossos escritores nacionais, Parabéns! Quero deixar aqui uma singela homenagem ao nosso colaborador e, acima de tudo amigo, Cláudio Quirino: obrigada por tudo! Imagino como essa profissão deve ser difícil, mas quando existe amor pelo que se faz, o retorno é mais lindo ainda.

Beijos,
Renata.

Top Ten Tuesday #7: o que te faz não ler um livro


   Olá, galera! A Isadora geralmente é quem está por trás dessa tag, mas ela me pediu (na verdade praticamente me implorou) para fazer dessa vez, e eu, como sou uma amiga suuuuuuuuper atenciosa, aceitei haha. Tudo bem que era para ser postada na terça feira, mas são só dois dias de atraso... 
   {Top Ten Tuesday é uma tag semanal originalmente publicada pelo blog The Broke and the Bookish. Todas as terças-feiras é dado um tema e eu terei que citar 10 livros (ou o máximo que conseguir lembrar) que condizem com o tema dado, além de falar um pouquinho sobre eles.}
   A tag de hoje é diferente: eu terei que citar 10 palavras ou tópicos sobre o que me faz não comprar/pegar/ler um livro (eu interpretei dessa maneira, mas vamos lá).

1. Preço: não tem nada mais desanimador do que não poder comprar um livro porque seu preço está um absurdo. Geralmente não compro livros caros, e acho um absurdo o livro custar R$ 30,00 ou mais. Sou pobre mesmo, e daí? haha. Tudo bem que o autor deve ter ficado dias, meses e até anos escrevendo o livro, mas poxa, ele precisa de leitores, certo? Então! Não custa nada maneirar no preço do livro. Sites como Submarino e Americanas também podiam ajudar às vezes.

2. Frete: Meu Deus, não é absurdo quando você está lá navegando pelo site do Submarino e encontra AQUELE livro que tanto queria? Claro que você vai logo no impulso e adiciona no carrinho e MEU DEUS EU PRECISO COMPRAR ESSE LIVRO AGORAAAAA. Aí você nem lembra de mais nada, só fica lá na expectativa porque o livro está barato demais e como assim e que coisa mais linda, perfeita, aaaah. Mas aí eis que você lembra do frete. Ah, O FRETE. Calmamente, antes de clicar para conferir o valor você reza baixinho, faz todas as mandingas, cruza os dedos e puft, ataque cardíaco!!! Sério, não tem nada mais cruel do que o livro custar R$ 20,00 e o frete sair por R$ 20,00. Sim, isso geralmente acontece comigo.

3. Autobiografia: quem é que vai querer ler sobre a vida inteira de uma pessoa - desde seu nascimento até seu estado atual? Só aqueles leitores que amam demais seus ídolos, porque eu ainda não me interessei por nenhum livro assim.

4. Zumbis: isso existe? Não costumo ler livro de ficção, embora já tenha lido alguns e tenha outro para ler e resenhar, mas sei lá, essas coisas não me agradam.

5. Espíritos/Fantasmas: não acredito e já li um ou dois livros que quase morri de medo depois.

6. Romances melosos: tudo bem que quando você vai ler um romance, geralmente tem cenas melosas e tudo o mais, mas o livro inteeeeeeeiro cheio de palavras/falas melosas, aí já é demais, não? Adoro romance policial (Nora Roberts s2), mas odeio quando chega nas partes extremamente melosas, porque acabo ficando com vergonha alheia dos próprios personagens e às vezes até do autor.

  Não consigo pensar em mais nada galera. Acho que seria isso mesmo; se você chegou até aqui, parabéns e obrigada! Pretendo fazer mais vezes essa tag, é interessante.
  Se você tem os mesmos gostos que os meus, comente! Se diverge em alguns, comente também! Creio que no início dei uma modificada na tag, mas tudo bem.

Beijos,
Renata.

Coluna do Escritor #1

Oi, gente!

Vocês se lembram que há algum tempo nós criamos a Coluna do Escritor? Pois bem, nós estavámos meio desanimadas em selecionar textos toda semana e acabamos deixando essa ideia de lado. Porém, hoje estamos aqui para anunciar a volta da coluna!

Pra quem não sabe, criamos a Coluna do Escritor com o objetivo de divulgar o trabalho de novos escritores nacionais. Antigamente vocês mandavam e-mails com seus textos e nós selecionavámos apenas um e postávamos no blog todos os sábados, certo? Agora, vai ser completamente diferente, acreditem em mim.

Deixa eu explicar melhor: através da aba "Contato" do blog, vocês poderão enviar textos/crônicas. Eles podem ser sobre qualquer coisa, desde que sejam de sua autoria. Vocês podem enviar em qualquer dia (inclusive hoje) e em qualquer horário, sem limitações. Se nós gostarmos do seu texto, iremos publicá-lo aqui no blog o quanto antes (não se preocupe, iremos te avisar se isso acontecer). Não selecionaremos, ou seja, nós não iremos escolher somente um texto de todos os recebidos. Basta gostarmos de seu texto para que ele seja publicado, ok?

"Mas Isadora, eu posso enviar mais de um texto de uma vez só?" Não. Por exemplo: vamos supor que você manda um texto seu hoje, aí nós gostamos e publicamos. Depois da publicação, você pode mandar mais um e assim por diante. Se o seu texto não for publicado, você pode tentar novamente na próxima semana. Ah, ele não precisa ser recente!

Como eu disse no começo do post, a intenção da coluna é divulgar o trabalho dos novos escritores. Em cada post da Coluna do Escritor, nós colocaremos o nome da pessoa, blog (se ela tiver) e redes sociais. Acho bacana porque muita gente não acredita na literatura nacional, então, essa é mais uma maneira de provar que muitos autores brasileiros têm potencial.

Para participar, basta falar conosco através da aba "Contato" ou pelo e-mail (viciadas-em-livros@hotmail.com). No e-mail, coloque o seu nome completo, título do texto/crônica, link da imagem que vai ilustrar o post (não é obrigatório, só se você quiser alguma) e redes sociais. Qualquer dúvida é só nos perguntar pelos comentários :)

Ah, não é obrigatório, mas vou deixar os links das redes sociais do blog pra quem quiser acompanhar as novidades, tá? Facebook | Twitter

Espero que gostem dessa nova coluna! Ansiosa pra ver os textos de vocês ♥

Beijos,
Isadora.

Promoção: 1000 seguidores do Viciadas em Livros



Olá, leitores!

Como vocês podem ver, nós atingimos 1000 seguidores! Queremos agradecer a todo mundo que segue, comenta, divulga e lê o Viciadas em Livros. Gestos como esse fazem toda a diferença, então, muito obrigada por tudo <3 Estamos super felizes com isso, e claro que uma promoção em conjunto não poderia ficar de fora! Chamamos os blogs Ler para Divertir, Minha Vida Literária, Sonhos em Páginas e Meu Passatempo BláBláBlá para comemorar essa data conosco, onde o primeiro ganhador escolherá 3 livros e o outro ficará com o restante. Os prêmios são:

Viciadas em Livros: Livro: "Garota, Interrompida" - Susanna Kaysen
Ler para Divertir: Kit: "A Caçada" - Clive Cussler (o kit contém um livro, um marcador e um chaveiro)
Minha Vida Literária: Livro: "Na Companhia das Estrelas" - Peter Heller
Sonhos em Páginas: Livro: "A Filha da Minha Mãe e Eu" - Maria Fernanda Guerreiro
Meu Passatempo BláBláBlá: Livro: "P.S Eu Te Amo" - Cecelia Ahern

P.S: Basta clicar no título dos livros para ser redirecionado à página do Skoob.

Regras

-Ter endereço de entrega em território nacional.
-Informar um e-mail válido para que possamos entrar em contato com você, caso seja o ganhador (a) da promoção.
-Seguir os cinco blogs publicamente pelo Google Friend Connect.
-Comentar nesse post para validar a sua participação.

Observações Importantes

-Haverão 2 (dois) ganhadores. O primeiro terá direito de escolher três livros, e os outros dois serão enviados para o segundo ganhador.
-A promoção começa hoje (dia 25/07) e terminará no dia 25/08. O resultado será divulgado no dia 26/08.
-Perfis criados exclusivamente para participar de promoções não serão aceitos.
-O ganhador será notificado por e-mail e terá até 3 dias para responder. Caso não responda nesse prazo, será realizado um novo sorteio.
-Cada blog ou as próprias editoras serão responsáveis por enviar o seu exemplar e terão um prazo de 45 dias para postar o livro.

Boa sorte!

a Rafflecopter giveaway

Um beijo,
Isadora.
24 de julho de 2013

Resultado do sorteio: anel de âncora

  Olá, leitores! Primeiramente quero me desculpar porque acabamos ficando sem postar o resultado da promoção do Anel de Âncora, por motivos de força maior (Novo Layout, o qual ainda estamos organizando, tudo para deixar o nosso espaço mais agradável!). Pois bem, vamos lá?


Parabéns Luuh F.! Mandaremos um e-mail e você terá 3 dias para nos responder com seus dados. 

   Obrigada por participarem! Se você não ganhou, não fique triste, o Viciadas em Livros tem promoções no ar! Quer ganhar uma linda camisa de Orgulho e Preconceito? Clique e concorra! 
   E vocês já conferiram as promoções de Férias? Não? Então confiram! São promoções imperdíveis!





Beijos, 
Renata.

Resenha: Deus está no controle

"Jesus sabe como você se sente".
Pense nisso e use isso da próxima vez que seu mundo for da calma ao caos.



Título: Deus está no controle
Autora: Max Lucado
Ano de lançamento: 2012
Número de páginas: 203
Editora: Mundo Cristão


Minha opinião: Acabei ganhando esse livro de uma promoção, no blog da Ana sumida rsrs (clique e confira! ). Fiquei suuuuuuuper feliz, porque nunca tinha ganhado uma promoção e também porque tinha adorado o título do livro.
   Como o blog da Ana também ganhou um exemplar, ela fez a resenha dela há um tempão e eu, com essa correria da minha vida, acabei nem tendo tempo de postar. Confiram a dela clicando aqui! Uma resenha ótima, como sempre. Mas enfim, vamos lá!
   "Deus está no Controle" foi um livro que mexeu muito comigo; aliás, livros reflexivos ou sobre Deus costumam dar aquele nó na minha garganta. Por dias fiquei pensando como faria essa resenha, e, sem encontrar respostas, resolvi deixar que meu coração encontrasse as palavras certas no momento em que começasse a escrever a resenha.
   Max Lucado é um escritor religioso, tem vários livros publicados e "Deus está no controle" é uma coletânea de passagens dos vários livros dele. Mas, como assim? É um livro onde cada capítulo (ou, nem isso, metade disso, talvez), transcreve um trecho de um livro dele, uma passagem importante, algo tocante. Achei isso maravilhoso, porque é como se tivéssemos todos (ou a maioria) dos livros do Max dentro de um só.
   A edição, o espaçamento, a capa, o adesivo que veio junto, é tudo perfeito! As mensagens de incentivo que o autor nos passa, de encorajamento para a vida, o cotidiano, nos fazem refletir muito.
   Como a Ana disse na resenha dela, o autor consegue uma proximidade muito grande com o leitor, fazendo com que o livro não se torne cansativo, mas muito proveitoso.
   Recomendo o livro para pessoas que acreditam em Deus e estão precisando dele; cada página é uma mensagem de incentivo. A leitura é super rápida e o mais legal é que você não precisa ler todo o livro novamente se quiser, basta ir no índice, escolher seu tema e abrir numa página e pronto, terá lido uma mensagem de Deus para sua vida.
   Eu achei super interessante o que o autor fez em alguns textos: citou exemplos de personagens bíblicos (como a leprosa que tentou tocar o manto de Jesus, acreditando que, fazendo isso, poderia ganhar a cura, visto que era vista como aberração; ou, do paralítico que Jesus faz andar); nesses exemplos ele inclui coisas do nosso cotidiano e nos faz pensar e acabamos nos sentindo melhor.
   O livro é lindo! Eu adorei e recomendo. Espero que vocês gostem também!
   Desculpem pela resenha pequena, mas é porque não tem o que falar do livro, ele é simplesmente lindo e encantador; o autor consegue nos encorajar, nos faz sentirmos bem, sabe? As mensagens que ele transcreve são tocantes. Deus é bom, tenho certeza que Ele o ajudou na criação dessas mensagens animadoras para a nossa vida.





Classificação:

Beijos,
Renata.