Tá perdido?

Carregando...

Sobre nós

Curta!

Seguidores

Twitter

Siga por e-mail

Siga!

Eu leio Brasil

Pai bárbaro

Loja do leitor

Meise está lendo

Isadora está lendo

Blog Archive

Favoritos de Meise

Favoritos de Isadora

Tecnologia do Blogger.

Link us

Viciadas em Livros

Arquivo do blog

26 de maio de 2014

Resenha: O Teste - Joelle Charbonneau

Título do livro: O Teste
Editora: Única Editora
Número de páginas:  320

   "No dia de formatura de Malencia ‘Cia’ Vale e dos jovens da Colônia Cinco Lagos, tudo o que ela consegue imaginar – e esperar – é ser escolhida para O Teste, um programa elaborado pela Comunidade das Nações Unificadas, que seleciona os melhores e mais brilhantes recém-formados para que se tornem líderes na demorada reconstrução do mundo pós-guerra. Ela sabe que é um caminho árduo, mas existe pouca informação a respeito dessa seleção. Então, ela é finalmente escolhida e seu pai, que também havia participado da seleção, se mostra preocupado. Desconfiada de seu futuro, ela corajosamente segue para longe dos amigos e da família, talvez para sempre. O perigo e o terror a aguardam."

Será que uma jovem é capaz de enfrentar um governo que a escolheu para se defender?

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

   Imagine a Terra destruída – não somente pela ira da natureza, mas pela inveja e ambição de líderes mundiais. Todos sendo atacados de diversas formas – gases radioativos, bombas... e depois, a natureza resolve destruir mais ainda, até não restar praticamente nada. Depois disso, os humanos que conseguiram sobreviver a tudo isso (denominado Sete Estágios da Guerra – onde os Quatro primeiros estágios de destruição que os humanos lançaram uns sobre os outros e os três estágios subsequentes, em que a terra lutou de volta), precisam reconstruir tudo, precisam encontrar alternativas de sobrevivência num mundo pós-guerra, onde a água que restou está poluída e o solo já não é mais tão fértil.
   Malencia é nossa personagem central: tem 16 anos e é a irmã mais nova de não sei quantos irmãos (creio que 3 ou 4). Todos a chamam de Cia e é ela quem narra o livro. Não sei se fui a única que tive essa impressão, mas não gostei muito dela, pouco carismática e faz aquele estilo “amo todo mundo e preciso salvar todos porque sou totalmente inocente e não enxergo a verdade”, enfim, deu pra entender, não? Tudo bem que ela é uma menina extremamente inteligente  e corajosa, até a admirei demais numas partes do livro, mas me irritou um pouco.
   O mundo foi dividido em dezoito colônias, e Cia vive na Colônia Cinco Lagos:  tem apenas pouco mais de novecentos cidadãos, é uma das menores e mais distantes de Tosu City, onde o governo da Comunidade das Nações Unificadas se situa.  
   Todos os anos, alguns jovens formandos são escolhidos para O Teste – são escolhidos pela Comunidade das Nações Unificadas (acredito que são pessoas que “mandam” por lá agora), e eles analisam as conquistas de todos os formandos das dezoito colônias. Os melhores alunos são levados a Tosu City para um teste da universidade.  “Os formandos da universidade são a grande esperança – aqueles com os quais todos contamos para ajudar a regenerar a terra e melhorar nossa qualidade de vida. São os futuros cientistas, médicos, professores e oficiais do governo” (pág. 26).
   Cia e mais três colegas da colônia são escolhidos – o que é um feito para a colônia, visto que há anos ninguém era escolhido. Porém o Teste não é tudo o que parece, e Cia, que estava tão empolgada, acaba ficando com medo depois das revelações de seu pai (que também fora escolhido há muito tempo para fazer o teste e passou).
   O teste consiste em Quatro Fases, as três primeiras são mais teóricas, e a última é a pior e a mais demorada. Essa quarta fase abrangeu boa parte do livro, acredito que não havia necessidade de tanto, queria mesmo que chegasse ao fim, saber se Cia e Tomas (companheiro de “equipe”) iam passar ou não.
   Todos que participam do teste tem sua memória apagada depois, para que informações não sejam passadas para as futuras pessoas que serão selecionadas;  mas acredito que não é bem disso que eles têm medo... porque todos os formandos querem participar do Teste, porém não gostariam de participar se soubessem o que realmente acontece durante o mesmo.
   A autora teve uma mente brilhante criando o cenário perfeito para usar e abusar de tramas envolventes e dramáticas, usou personagens que podemos encontrar no cotidiano e abordou temas que muitas vezes não são analisados – como a confiança - , e criou O Teste que, apesar de ser meio confuso no começo, faz as 320 páginas valerem a pena. Uma coisa preciso deixar clara: nunca li Jogos Vorazes nem Divergente, portanto esse é o primeiro livro que chega perto de ter uma trama um tanto quanto parecida com um desses livros.
   Quanto ao romance que a autora tentou criar, não gostei muito. Achei desnecessário, não tem muita química entre eles... O final do livro foi extremamente surpreendente e ficou com um gostinho de quero muuuito mais!
   Como foi a primeira distopia que li, adorei, tirando uma coisa ou outra que comentei. Achei fantástica a trama da autora e estou doida pelo segundo livro, porque o primeiro deixou muitos questionamentos abertos. Afinal, será que as pessoas que Cia confiou mereceram mesmo confiança? Será que não teria sido melhor se ela tivesse seguido o conselho do pai e não ter confiado em ninguém? 
   Obrigada Única Editora por disponibilizar o exemplar <3 acredito que todos que gostam de distopias vão adorar O Teste!  Ah, a edição está demais, linda!



QUOTE: “Quanto mais chegamos perto do fim do teste, mais perto estamos de nos tornarmos os próximos líderes de nossa geração. Muitos dos colegas candidatos demonstraram sua crença de que o fim justifica os meios. Eu tenho dificuldade em entender isso, mas uma coisa é certa: o passado não pode ser mudado. “ (pág. 150)

P.s.:  Preciso fazer alguns comentários que não conseguirei deixar passar: imagina ter que fazer O TESTE, digo, o Teste do livro mesmo, pra poder entrar numa universidade? E outra, as crianças que nasceram depois da destruição do mundo são extremamente inteligentes, fiquei pasma, de verdade!
  Fiquei imaginando também, coisa bem bizarra mesmo, mas vai saber se isso não venha a acontecer mesmo daqui alguns anos? Digo, distopias são invenções, óbvio, mas podem vir a acontecer (não é coisa bem impossível como Harry Potter, ou Percy Jackson), enfim, viajei bonito, mas que é bizarro, é! 


                                                      


5 comentários:

  1. Oi! Blog muito legal, amei a resenha, fiquei doida pra ler o livro *-* Ainda estou começando meu blog, se vc pudesse dar uma olhada e seguir ajudaria muito :) http://umaoverdoseliteraria.blogspot.com Obrigada, Gabi

    ResponderExcluir
  2. Oie.
    A capa não é das melhores, mas sua resenha me deixou curiosa e quero ler este livro.

    Beijos Fê :*
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem? Essa distopia parece muito boa. Vou adicionar na minha listinha.
    Gostei muito do seu blog e estou seguindo.

    Beijinhos, Dany.
    http://livrosqueinspiram.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu nunca me empolgo por livros desse tipo. Mas quando os vejo no cinema e adoro sempre penso: "Droga! Por que não o li?"

    http://corujicesnomundo.com.br

    ResponderExcluir
  5. Não sou muito ligada nesse tipo de distopia, mas fiquei curiosa, sua resenha foi ótima e não nos deu spoiler, fiquei pensando, "o que diabos é esse 4º teste"?! hahahaha.....

    Por coincidência, o post do blog hj é a minha resenha que também é uma distopia, espero que goste hehehe

    Pri ;*
    http://closettgarden.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

A leitura é uma porta aberta para um mundo de descobertas sem fim. - Sandro Costa

Obrigada pela visita. Sinta-se a vontade para dar sugestões, fazer críticas ou elogios!