Sobre nós

Curta!

Seguidores

Twitter

Siga por e-mail

Siga!

Eu leio Brasil

Pai bárbaro

Loja do leitor

Meise está lendo

Isadora está lendo

Favoritos de Meise

Favoritos de Isadora

Tecnologia do Blogger.

Link us

Viciadas em Livros

Arquivo do blog

3 de março de 2013

Filme: Bem-vindo à vida

Título do filme: People like us (em português: Bem-vindo à vida)
Lançamento: 17 de janeiro de 2013 (embora alguns sites falem que tenha sido em 2012, não sei ao certo agora).
Duração do filme: 1h 54 min
Dirigido por: Alex Kurtzman
Com: Chris Pine, Elizabeth Branks, Olivia Wilde, Michelle Pfiffer...
Gênero: Drama
Nacionalidade: Estrangeiro (Estados Unidos)
Sinopse e trailer


Minha opinião: Depois da morte do pai, Sam fica ansioso para saber sobre o que há no Testamento dele, porém percebe que o que o pai lhe deixou fora 150 milhões de dólares que, na verdade, não eram para ele, mas sim do filho de uma suposta irmã de Sam (Frankie), uma irmã que ele nunca conheceu e nem sabia que existia. Sam não fica muito feliz ao saber que o pai lhe deixou somente alguns vinis (o pai era um músico não muito conhecido), enquanto deixara 150 milhões de dólares para uma filha que nunca assumiu (e para seu neto). Ao começar a procura por Frankie, Sam começa a mudar toda a sua vida e a sua relação com as pessoas ao seu redor, principalmente com a mãe.
   Podemos perceber que Sam nunca teve um bom convívio com o pai, a impressão que ele nos passa é de que o pai preferia ficar reservado ou não tão próximo do filho (é o que Sam conversa com a mãe, basicamente).
   Sam acaba descobrindo que sua mãe já sabia da outra família que o pai tinha, e acaba se chateando muito com ela. Está bem, não vou contar mais nada do filme... 
   O filme nos remete a pensar sobre a vida, sobre o quanto uma traição (seja por parte do pai ou da mãe), pode mudar a vida de todas as pessoas ao redor. Sam cresceu com uma mentira, e Frankie, inegavelmente, também. Uma coisa interessante que percebi no filme é que, inicialmente, Sam quer segurar o dinheiro pra ele e ir embora daquele lugar e voltar para Nova York. Mas não o faz. Por que? Bom, aí eu não sei se ele sente uma necessidade maior, pelo bilhete que o pai havia lhe deixado, ou o que aconteceu. Sei que ele vai atrás da irmã e não conta de imediado quem é, mas começa a participar ativamente da vida dela e do filho, fragilizando-se com a vida de ambos. 
   Creio que Sam sente alguma obrigação para com eles, porque a última frase do bilhete do pai diz mais ou menos isso: "Cuide deles pra mim, -J". E ele realmente começa a cuidar e se importar! Não é estranho? 
   Mas então, é um filme lindo e emocionante, e o final então, é lindo! Porque é no final que descobrimos o motivo pelo qual o pai de Sam preferia ficar sozinho. 

Recomendo! E aí, já assistiu? Qual é a sua opinião? Diferente da minha? Comente!


Classificação:    

Um beijo,
Renata.

   

4 comentários:

  1. Eu já tinha ouvido falar desse filme, mas honestamente nuca nem procurei sinopse dele. Não sou grande fã de filmes de drama, só vejo de quando em quando, mas esse parece interessante,

    Té mais...
    http://bmelo42.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Odeio quando eles chegam e não falam tudo logo de cara, mas entendo também que se falassem não teria coisas ruins para por no filme.
    Enfim, amei a resenha e me deu uma super vontade de ver, até já add no filmmow.
    Bjos
    Ana Clara
    www.bibliotecavirtu.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. adorei o post,nunca ouvir falar desse filme,sério rsrsrs,mais ele parece ser super interessante.
    Já estou seguindo é convido vocês para seguir o meu também, ;)
    Beijos.

    http://www.pensamentoliterario5.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Não é 150 milhões, são 150 mil doláres

    ResponderExcluir

A leitura é uma porta aberta para um mundo de descobertas sem fim. - Sandro Costa

Obrigada pela visita. Sinta-se a vontade para dar sugestões, fazer críticas ou elogios!