Sobre nós

Curta!

Seguidores

Twitter

Siga por e-mail

Siga!

Eu leio Brasil

Pai bárbaro

Loja do leitor

Meise está lendo

Isadora está lendo

Favoritos de Meise

Favoritos de Isadora

Tecnologia do Blogger.

Link us

Viciadas em Livros

Arquivo do blog

19 de setembro de 2014

Como estudar outra língua sozinho

Resolver iniciar os estudos de uma língua desconhecida por conta própria inclui muita coragem, determinação, foco, concentração e, principalmente, vontade. É complicado estabelecer uma rotina rigorosa, não ceder às distrações ao redor e conseguir encontrar o melhor método de estudo para você; é difícil ser regrado o suficiente para que tudo entre nos eixos.
Todas essas complicações podem te fazer desistir de um novo idioma se a única alternativa for ser um autodidata, mas calma, a internet sempre tem a solução - só não tem para problemas de saúde, nela qualquer gripe se torna um câncer terminal em segundos, cuidado para não abrir uma página do Yahoo! Respostas!
Brincadeiras a parte, conciliar uma rotina maluca aos meus estudos de francês tem sido um enorme problema desde 2011, quando comecei a estudar o idioma e fiquei completamente maluca! Por quê? Bem, eu abomino qualquer tipo de rotina organizada na minha vida, e vou sim fazer de tudo para mudar tudo, nem que isso signifique trocar meu horário de tomar banho por cinco minutos, ou tomar café dois minutos antes de sair de casa de manhã, então tudo que envolve rotina é um problema ENORME para mim.
Não contente, precisava conciliar tudo com o colégio, últimos níveis do inglês, uma vida, meus livros e compromissos além disso, resultado = não consegui aprender muito além do básico - verbos regulares, vocabulário de conversação e expressões muito utilizadas. E isso só me estressou de verdade quando cheguei à França para meu intercâmbio, e apesar de conseguir entender tudo o que me era dito, em suma, eu não conseguia responder com a gramática e vocabulário adequados.

Determinada a mudar essa situação e colocar mais comprometimento nos meus estudos, mudei muitas coisas em relação ao francês depois que voltei ao Brasil, e são essas mudanças que eu venho hoje colocar aqui para vocês, pois creio que esse problema atinja muitas pessoas que querem ser autodidatas, mas não conseguir conciliar a vida com os estudos por conta própria.



A primeira coisa foi conseguir estabelecer um horário de estudo, mas nada de das três às cinco todos os dias, não, isso nunca ia funcionar para mim! Determinei que, a cada dois dias, precisava estudar no mínimo meia hora, o que no começo foi pouco, mas o possível para mim. Então, analise seu cotidiano e veja qual brecha de horário pode ser utilizada para esta finalidade, seja esta um horário fixo ou variável, o que importa é saber que tal espaço de tempo tem agora um objetivo, que deve ser cumprido!
Depois disso, precisava descobrir um método de aprendizado que funcionasse bem para mim, já que eu sou uma pessoa extremamente auditiva, e aprender escutando sempre será meu meio favorito e mais eficaz. Tentei com vídeos e CDs de conversação, mas era tudo tão básico e previsível, que começou a me irritar. Fui então ao santo YouTube, que salva minha vida até hoje! 
Mesmo sem entender 100% do que é falado, eu me aventurei a assistir vídeos em francês, normalmente de vloggers de beleza, mas principalmente, os da Rachel Martino, que é americana, na realidade, então, sua pronúncia é um tanto quanto mais fácil de compreender. Essa dica é muito muito útil, porque por mais que você não compreenda nada no primeiro instante, já começa a preparar seus ouvidos aos sons da palavra, e muitas vezes por associações ou semelhanças com seu idioma materno, aprende muitas coisas e se diverte ao mesmo tempo! 
Eu faço a mesma coisa com o inglês, terminei o curso há mais de um ano e conversar em inglês me faz uma falta tremenda! Porém, enquanto não o consigo, assisto muitos vídeos em inglês, para pelo menos não decair o nível, e meus canais favoritos são os da Amanda Muse, Missglamourazi e The Readables!
Outra dica PRECIOSA é falar! Seja cantar uma música, conversar com as paredes ou falar com sua família e amigos - mesmo que eles não entendam uma única palavra! Exercitar a fala é extreeeemamente importante, porque caso contrário, você acaba como eu no meu intercâmbio: conseguia entender tudo, mas só respondia com uma gramática e vocabulário bem básicos.

Bem, é isso, essas são as dicas básicas, que acredito eu, podem te ajudar no início dos estudos, porque depois, você mesmo descobre as melhores táticas e formas de aprender, mas o importante mesmo é aprender, e que isso seja divertido!

Beijos, Camille!

4 comentários:

  1. Amiga, tem um aplicativo de aulas ótimo que chama Busuu. Estou melhorando meu inglês, espanhol e aprendendo russo, alemão e turco! É pago, mas vale super a pena, porque você realmente tem aulas e os nativos corrigem seus exercícios!
    Um beijo.
    Literamagia
    Facebook Literamagia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Andreza!
      Nossa, ótimo saber desse aplicativo, muito obrigada!
      Beijos!

      Excluir
  2. Maior dica: Nunca pesquise doenças no Yahoo HSUAHSUH Aprendi isso da pior maneira :P
    Mas é verdade, aprender um idioma sozinha tem que ter muita determinação, e uma boa rotina o que eu nunca consigo HSUASH
    Mas o mais importante mesmo é praticar bastante a fala
    Beijoos,
    setimaondaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

A leitura é uma porta aberta para um mundo de descobertas sem fim. - Sandro Costa

Obrigada pela visita. Sinta-se a vontade para dar sugestões, fazer críticas ou elogios!