Sobre nós

Curta!

Seguidores

Twitter

Siga por e-mail

Siga!

Eu leio Brasil

Pai bárbaro

Loja do leitor

Meise está lendo

Isadora está lendo

Blog Archive

Favoritos de Meise

Favoritos de Isadora

Tecnologia do Blogger.

Link us

Viciadas em Livros

Arquivo do blog

13 de março de 2014

Resenha: A casa das Orquídeas - Lucinda Rilley

Autora: Lucinda Rilley
Editora: Novo Conceito
Gênero: Romance 
Páginas: 560 páginas

   O livro conta a história de Julia Forrester, uma pianista renomada que teve sua vida desestabilizada por conta de um acidente com seu marido e filho. Julia tenta, a todo custo, esquecer a dor que a domina todos os dias – muda-se para a  Inglaterra, e vive em seu velho chalé, onde passa os dias depressiva e chorona. Sua irmã, Alícia, vendo todo o sofrimento dela, tenta ajudá-la a todo custo; Alícia leva-a até Wharton Park, uma mansão que sempre esteve presente na vida de Julia de maneira direta, pois seu avô trabalhava nas estufas e cultivava orquídeas.
   Wharton Park guarda muitos mistérios;  o subtítulo do livro nos intriga: “Toda casa tem seus segredos e todo amor, seu preço”, sendo assim podemos esperar muitas revelações durante a leitura do livro.
   Julia encontra um diário que acredita ter pertencido ao seu avô Bill, onde há registros de memórias da Segunda Guerra Mundial. Todavia, Harry Crawford é o verdadeiro dono do diário. Harry foi um herdeiro de Wharton Park, e foi com ele que tudo começou a mudar, e Julia vai descobrir que as escolhas feitas no passado culminaram decisivamente no futuro de sua geração.
   Quem nos conta a história de Harry é Elsie, a avó de Julia, que fora dama de companhia de Olivia, esposa de Harry. O livro nos remete ao passado e ao presente, com passagens longas e algumas até cansativas.
   Julia conhece Kit Crawford, que no momento, é o próximo herdeiro na linha de sucessão para herdar Wharton Park. Porém, Kit percebe que não tem condições de ficar com a mansão, visto que a mesma está com muitas dívidas e precisa ser vendida urgentemente.
   Engana-se quem pensa que vai ler relatos sobre a Segunda Guerra Mundial, sobre as imundícies que ocorreram ou sobre a bravura de algumas pessoas; o que encontramos de fato é uma história de amor culminada depois da Segunda Guerra Mundial, em Bangkok, China.
   Uma história de várias gerações, de amores perdidos, de entrega, de paixão, de renúncia, medo, conquistas, perdas, decepções. Um compilado de relatos vividos arduamente pelos personagens.
   O livro é interessante, todavia confesso que esperava muito mais. Realmente, 560 páginas é um número exagerado se formos pensar no que realmente lemos. Talvez eu estivesse esperando outra história, que tivesse mais foco na Segunda Guerra Mundial, e o que obtive foi uma história de amor que atravessou e influenciou gerações inteiras. Há inúmeras revelações e algumas podemos até ficar impressionadas; de uma coisa eu tive certeza: há muito drama envolvendo a maioria dos personagens.

Quote:
 “Em meio à dor e à felicidade da jornada que percorri nos últimos dois anos, eu aprendi a lição mais importante que a vida tem a oferecer e fico feliz por isso. Tudo o que temos é este instante.”


4 comentários:

  1. muito legal! Estou morrendo de vontade de ler esse livro (alias estou morrendo de vontade de ler todos os livros do John Green ) Seu blog é muito lindo ,parabens
    Se você puder acessar meu blog e deixar sua opinião nos comentarios seria realmente muito importante. Obrigada

    http://eraumavezumaestante.blogspot.com.br/

    Bia

    ResponderExcluir
  2. Livro muito lindo, mas eu acho que o tema não me conquistou muito rsrs
    Lindo blog!

    http://cheirinhodolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Realmente o livro é muito grande, mas a história dele é tão maravilhosa que compensa muito isso. A narrativa da autora é uma delícia e a história do livro é muito emocionante, fiquei apaixonada por este livro!
    http://exceptionss.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Finalmente, estava mesmo procurando por opiniões sobre livros pela internet preciso de um novo para ler e esse parece ser bom, a história é bem diferente.
    FB http://www.sempresonhadora.com/

    ResponderExcluir

A leitura é uma porta aberta para um mundo de descobertas sem fim. - Sandro Costa

Obrigada pela visita. Sinta-se a vontade para dar sugestões, fazer críticas ou elogios!