Tá perdido?

Carregando...

Sobre nós

Curta!

Seguidores

Twitter

Siga por e-mail

Siga!

Eu leio Brasil

Pai bárbaro

Loja do leitor

Meise está lendo

Isadora está lendo

Blog Archive

Favoritos de Meise

Favoritos de Isadora

Tecnologia do Blogger.

Link us

Viciadas em Livros

Arquivo do blog

21 de março de 2014

Diário de Viagem: Paraty

Oi geeeente! Como estão?
Ontem, quando eu comecei a pensar qual seria o post de hoje para o Viciadas, tive algumas ideias, mas nenhuma me agradou muito... Foi aí que eu encontrei, aleatoriamente, algumas fotos de uma viagem que eu fiz, em Janeiro de 2012, para Paraty, e resolvi contar para vocês como essa pequenina cidade no litoral do Rio de Janeiro, se tornou uma das minhas favoritas no mundo!



Mas minhas história com Paraty começou beeeem antes de 2012, em 2004/2005, quando durante uma viagem para Ubatuba, no litoral norte de São Paulo e há poucos quilômetros de Paraty, meus pais mencionaram todas as vezes que, quando solteiros, viajavam para Paraty, e fizeram questão de detalhar cada prédio histórico do qual se lembravam para mim, uma criança de 07 anos que, atipicamente, AMAVA ir pro colégio, passava o tempo assistindo documentários históricos, colecionava revistas de História e alimentava uma paixão inexplicável por qualquer coisa que tivesse mais que um século de vida. Como resultado, eu fiquei doida para conhecer a cidade, mas meu pai não quis ir de jeito nenhum, já que era virada de ano e o trânsito desanimava qualquer um. 
Desde então, em todas as férias dos meus pais - ou em qualquer feriado durante o ano, eu imploraaaava para que nós fossemos para lá, porque minha vontade de conhecer a cidade só aumentava a cada ano! Mas as desculpas eram sempre as mesmas: o trânsito para ir pra lá é estressante, é longe demais para ir dirigindo, não tem aeroporto, blá blá blá, e sempre acabávamos em alguma cidade mais próxima ou que não ficasse em rotas de trânsito. Eis que em Dezembro de 2011, sentamos para decidir a próxima viagem e a minha mãe linda e diva, sugeriu Paraty, e depois de muita discussão e pequenas brigas e choros, decidimos ir pra lá mesmo, para a felicidade da Camille aqui, hahahaha!



Então começaram as minhas pesquisas para reservar hotel, conseguir passagens de ônibus e bom, tratando-se de alta temporada e de reservas em cima da hora, por muito pouco a gente fica em São Paulo mesmo!
Depois de muito procurar, além de hotéis, sua localização também, escolhemos o Villa Harmonia, uma fofura de hotel, localizado no bairro Caborê. Decidimos por este primeiramente pela localização: não poderia ser melhor! O bairro fica há menos de cinco minutos do centro histórico, é pertinho da rodoviária, da praia e, ao mesmo tempo que fica próximo do centro, é longe o suficiente para que pudéssemos descansar sem o burburinho das ruas mais centrais. Era perfeito! Liguei no hotel com medo de não conseguir mais quartos disponíveis, mas conseguimos para os dias que queríamos e olha, eu juro que cheguei a achar que era demais pra ser verdade, hahaha!
Como meu pai não dirige longas distâncias, a única alternativa era ir de ônibus, e eu não gostei neeeeem um pouco da alternativa, né, mas no fim, foi a melhor coisa que fizemos! Pela empresa Reunidas, a viagem durou pouco mais de sete horas, com três paradas e muitos gringos no ônibus junto comigo, o que me rendeu muitas conversas e risadas, além do que, eu treinei meu inglês hahahaha!
Sem nenhum roteiro prévio do jeito que eu mais gosto, passamos seis dias na cidade e eu espero que vocês gostem de acompanhar minhas loucuras e também as dicas de Paraty!

Chegamos na cidade umas 16h, se eu não me engano, fizemos check-in no hotel, tomamos um mais do que merecido banho, e enfim, saímos para conhecer a cidade que eu tanto idealizara! 
Como o hotel não tem pensão completa - como nenhum na cidade, já devo adiantar, porque como a cidade é histórica e lotada de passeios legais, ninguém fica o dia todo no hotel, ou quer voltar para ele no meio de um passeio né, aproveitamos a saída a noite para jantar também, mas depois que eu me vi caminhando naquelas ruelas de pedras, com todas aquelas casas MARAVILHOSAS de séculos atrás, e tanta história pulsando ao meu redor, não queria mais comer, nem falar, nem fotografar, nem brincar de escutar a conversa de gringos aleatórios, hahaha, aquela atmosfera antiga me envolveu de um jeito, que me arrependi de apenas negociar seis dias com os meus pais.


Como todos estávamos MUITO cansados da viagem, apenas jantamos e voltamos para o hotel, mas não havia cansaço para mim, eu só queria admirar cada casa, prédio e igreja daquela cidade magnífica, queria me sentir em séculos passados e continuar a imaginar todas as pessoas que passaram por ali, o que aconteceu, a importância da cidade nos tempos áureos do ouro... Uma das coisas mais incríveis, para mim, é ver a história com os meus próprios olhos, é reviver as falas de meus professores em aulas de história, e esquecer que já não é mais o final do século 1600. Posso voltar agora, mãe?!

Segundo dia: recorri às minhas anotações e decidimos ir para a Praia do Pontal, de onde iríamos até o Forte Defensor Perpétuo!
No caminho até a praia, tirei umas fotos LINDAS do Rio Perequê-Açu, e sou apaixonada por elas até hoje!


Enfim, chegamos na praia e imagino que, se o dia não estivesse tão nublado, a paisagem seria bem mais bonita! Mas a tranquilidade das águas, das pessoas ao redor, e de todos os que praticavam canoagem lá também, compensou o céu tímido!


Continuamos com o roteiro, e começamos a subida até o Forte, e eu juro que pagaria muito dinheiro se tivesse algum elevador ali, ou até mesmo alguém para me carregar, hahaha! Mas a vista e o que encontramos lá em cima compensa, é um passeio SUPER legal e histórico <333 recomendadíssimo!

Vocês entendem meu amor por coisas antigas? E como eu pirei ao ver isso?


Voltamos e almoçamos em um quiosque na praia mesmo, e depois, passamos a tarde passeando pelo centro histórico mesmo, para a minha felicidade, hahaha!


Terceiro dia: foi dia de passear de escuna! Reservamos na recepção do hotel mesmo, e às 09h, mais ou menos, saímos para o passeio. Sabem a primeira foto do post? Então, eu a tirei logo que saímos, linda a vista, né?
O roteiro incluía passagens pela Praia da Lula, Ilha Comprida, Lagoa Azul e Praia Vermelha, e o almoço também estava incluso no preço - não lembro mais quanto pagamos, sorry! 
Passamos por diveeeeersas praias, e depois ilhas, e entre particulares e à venda, quis ser muito rica para pagar 15 milhões em um pedaço do paraíso, juro! 
A primeira parada foi na Praia da Lula, MARAVILHOSA, com as típicas águas cristalinas e paisagens incríveis.


Depois, foi a vez da Ilha Comprida, mas como achamos melhor não descer da escuna, tirei apenas uma foto da água mesmo.


Depois de um longo tempo navegando, paramos para o almoço na Lagoa Azul, a mais linda de todas as paradas! Um paraíso mesmo, quero voltar!


Mas a parada para o almoço acabou com os meus planos, já que era a única parada na qual eu tomaria coragem para mergulhar. Já contei que tenho medo de mar? Então, mesmo com essas águas cristalinas e dignas de um filme, não consigo controlar o medo...

Quarta e última parada, foi a Praia Vermelha.



Quarto dia: foi a vez de Trindade! Fui só com a minha mãe, e para isso, pegamos um ônibus na rodoviária mesmo, e em menos de uma hora chegamos. Ah, o ônibus também estava cheio de gringos, me divirto hahahahahaha.
Do jeito que eu gosto, nós duas ficamos sem noção alguma de direção na vila, sem saber para onde ir ou o que procurar, e o melhor, sem sinal nos celulares! O que restava? Andar! Passamos por várias praias MARAVILHOSAS, como a Praia dos Ranchos, e ainda nos aventuramos a começar uma trilha pela Serra da Bocaina, mas depois que demos de cara com uma cobra, preferimos voltar à praia mesmo.

Praia dos Ranchos

Praia do Meio

Serra da Bocaina

Quinto dia: logo após o café da manhã, meu pai encontrou um folheto na recepção, de uma Mini Estrada Real, com miniaturas de construções, na sua maioria igrejas, ao longo da Estrada Real, e eu pirei na hora! Meio que obriguei todos a irem comigo, e em um ato de puro impulso, fomos a pé! NÃO FAÇAM ISSO NUNCA! O passeio é incrível e deve ser parada obrigatória, mas peguem um ônibus para chegar até lá, porque minha irmã, tadinha, quase passou mal de tanto andar.


Conhecemos o artista incrível que faz, artesanalmente, todas as miniaturas, e ele guiou nosso passeio, fiquei doooooida com as igrejas maravilhosas, cada detalhe muito bem trabalhado, e a precisão em retratar tudo o mais parecido com o real!






O forte que eu vistei em miniatura.

Foi como voltar às minhas aulas de História da Arte! Nem tenho palavras para descrever como adorei e fiquei com um sorriso bobo no rosto, nem preciso dizer que Ouro Preto está no roteiro de minhas próximas viagens, né?

Sexto dia: o nosso ônibus saía às 12h, então, só deu tempo de correr até o centro e comprar alguns souvenirs e lembrancinhas, fechar as malas, fazer check-out no hotel e se despedir daquela cidade incrível, que nunca vai sair do século 17, e voltar para São Paulo.

É isso gente, espero que tenham gostado e visitem Paraty o mais rápido possível, não vão se arrepender! Já foi pra Paraty? Conta pra mim sua experiência nos comentários, vou adorar ler!

Beijos, Camille!


6 comentários:

  1. Lindos lugares!! Tenho vontade de conhecer Paraty, tenho certeza que ir amar. Vc mencionou Ubatuba e eu já fui, mais como foi em excursão do curso técnico então nem conheci a cidade direito, fui para conhecer o Projeto Tamar e mano é lindo.
    Brubs
    contodeumlivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Que bela postagem e belas fotos! No pouco tempo que passei no RJ, infelizmente não conseguir ir à Paraty, mas pode ter certeza que seu post apenas atiçou minha vontade. Temos que aproveitar essas ilhas tão bonitas no meio do mar de destruição que é boa parte do estado do Rio de Janeiro.

    Samuka
    http://coupleliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Camile.

    Nossa que lugar lindo...posso dizer?? fiquei aqui morrendo de vontade de ir hahaha.
    Espero um dia ir a lugares tão lindos.

    Beijos
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Está nos meus planos conhecer Paraty ainda esse ano, se Deus quiser...a cidade é mesmo linda não é? Eu queria ir na FLIP mas como fica tudo muito caro nessa época e teria que já estar juntando din din há um tempão, então vou me planejar para ir num dia normal mesmo. Mas está muito muito nos meus planos, pois amo esse lugar!
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Eu sempre ouço falarem de Paraty, mas nunca tive a oportunidade de visitar diretamente, algumas vezes passei por perto, mas nunca cheguei a parar pra conhecer, mas essas imagens me deixaram tão animadas, que eu preciso dar um jeito de dar pelo menos uma voltinha pela cidade.
    Beijos,
    Yasmin
    deitadosnagrama.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Este lugar com certeza irei visitar. Adoro cidades históricas, tanto essa quanto Ouro Preto, são cidades que estão em meus objetivos. Gostei das fotos e o blog tá lindo. Beijos.

    Visitem: www.amantesporlivrosefilmes.blogspot.com

    ResponderExcluir

A leitura é uma porta aberta para um mundo de descobertas sem fim. - Sandro Costa

Obrigada pela visita. Sinta-se a vontade para dar sugestões, fazer críticas ou elogios!