Sobre nós

Curta!

Seguidores

Twitter

Siga por e-mail

Siga!

Eu leio Brasil

Pai bárbaro

Loja do leitor

Meise está lendo

Isadora está lendo

Favoritos de Meise

Favoritos de Isadora

Tecnologia do Blogger.

Link us

Viciadas em Livros

Arquivo do blog

7 de fevereiro de 2014

Dicas para viajar sem gastar muito

Depois de terminar os Diários de Intercâmbio - para quem não leu, estão aqui, aqui, aqui e aqui, (sinto tanta falta deles quanto vocês, hahahahaha), recebi pedidos de post sobre como economizar em viagens, e espero que gostem das dicas!

P.S: todas as dicas foram escritas para quem pretende viajar sem pacote de viagem com agência, já que é mais barato viajar independentemente.
P.S²: direcionei as dicas para viagens internacionais, com base na minha experiência pela Europa e também no que já li em blogs de viagens, dicas que escutei, sugestões da minha agente etc, mas nada te impede de adaptar as dicas para viagens em território nacional, na realidade, pouco mudará.

1-) Passagens aéreas: elas costumam ser o pesadelo de quem viaja, e a parte mais cara de todas, mas respirem, porque eu tenho algumas alternativas! A primeira é programar a viagem com o máximo de antecedência possível, porque quanto mais cedo você comprar as passagens, mais baratas elas serão. Mas se o valor com taxas exceder o seu limite, apele para as milhas aéreas, que são uma ótima alternativa! Ocasionalmente, as companhias aéreas e sites de viagens, como o Submarino Viagens, fazem promoções ótimas, então curta as páginas das companhias no Facebook, fique ligado nos sites das mesmas, e torça para conseguir bons descontos.



2-) Hospedagem: para escolher a hospedagem, é preciso levar em consideração alguns fatores: tempo da viagem, prioridades (sejam estas localização, conforto, etc) e o número de pessoas que viajarão com você. Hotéis valem muito a pena quando conforto é a sua prioridade, porque você pagará um pouco mais caro, mas terá o conforto que deseja. Apesar de serem a alternativa mais cara, eu considero a melhor se você viajará sozinho. Para conseguir bons preços, procure em sites como o Booking, que pode ter ótimos preços, além da opinião de quem já se hospedou lá.
As outras duas são hostels e alugar uma casa ou apartamento. Eu sou, particularmente, apaixonada por hostels, mas é preciso escolher com cuidado! São uma opção relativamente barata, e existem n jeitos de hostels para você escolher: só para homens, só para mulheres, com localização excelente, um pouco mais afastados dos centros, enfim, são várias opções, escolha a que mais te agrada, e se divirta conhecendo pessoas do mundo todo!
Alugar casa ou apartamento é mais recomendado para quem vai viajar com muita gente, principalmente família, e não quer se preocupar com mais nada! Normalmente, quem aluga apartamento apenas usa o mesmo para dormir, e faz todas as refeições fora.

http://www.harpersbazaar.com.br/escape/novo-hostel-paulistano-ja-e-favorito-entre-os-gringos-mais-antenados

3-) Alimentação: se você vai para a França e quer economizar, esqueça um bistrô por dia e apele aos restaurantes populares! Dica válida para todo e qualquer destino nesse mundo, porque você pode gastar MUITO só em alimentação, e não vale a pena. Antes de carimbar seu passaporte, pesquise lanchonetes e restaurantes de baixo custo e já anote tudo: localização, onde estão os mais próximos ao seu hotel/hostel/casa, etc. Porém, se tudo for muito bem organizado, eu garanto que sobrará um dinheiro para gastar em um restaurante chique, pelo menos uma vez durante o passeio.
A dica que eu deixo de Paris é: Brioche Dorée! Uma lanchonete muito conhecida na França, com algumas comidas típicas (crepes, croissants, macarrons), e um preço tentador: 1,80 em um crepe, pasmem!!!

http://parisja.blogspot.com.br/2012/03/melhor-lanchonetes-de-paris-la-brioche.html

4-) Turismo: as passagens estão compradas, hotel/hostel/casa reservados e passaporte em mãos? Seu próximo passo é estabelecer um guia de viagem. Eu, em especial, não gosto de guias porque minha alma aventureira não permite, gosto mesmo é de sair por aí sem saber aonde vou parar. Massssss, como o objetivo dessas dicas é economizar, eu aconselho deixar o espírito aventureiro em casa, e correr para a livraria mais próxima para comprar um daqueles guias de viagem.
Primeiro passo: anote todos os lugares que você quer visitar. Pontos turísticos, museus, atrações, restaurantes (sem abusar, hein), tudo, absolutamente tudo do que você não abre mão e precisa conhecer. Depois, combine os destinos com o tempo de viagem, calcule com os horários de visitação e também o meio de transporte, PARE DE LER AGORA E PULE PARA O PRÓXIMO PASSO! Leu o tópico sobre transporte? Ótimo, agora você já sabe como se locomover, e pode terminar sua lista.
Terminou a lista? Sobrou algum tempo, dia? Veja o que mais o seu guia sugere!
Mas atenção: é esperado que você encaixe pontos turísticos próximos nos mesmos dias/horários, então pelo amor de Deus, não programe Quartier Latin e Notre Dame para dias diferentes, né! Além disso, não aperte os horários, porque o gostoso mesmo é ter tempo, e, se necessário, tire alguns itens e seja feliz visitando o Vaticano durante um dia inteirinho.


5-) Locomoção: na grande maioria das cidades europeias, e algumas nos EUA e Canadá, os meios de transporte público são excelentes e você não vai se arrepender. Pesquise as linhas de metrô, ônibus e trem do destino, anote os horários de funcionamento, veja quais são os mais próximos dos pontos que quer visitar e seja feliz!
Outra dica é comprar bilhetes semanais/mensais, que facilitam muito a vida, eu garanto.
Terminou de ler? Volte aos pontos turísticos!


6-) Compras: último plano MESMO! Não se deixe levar pela Rivoli, nem a Rodeo Drive e muito menos a 5ª Avenida! Para quem quer economizar, as compras só vão te atrapalhar... Mas, como muitas vezes os preços no exterior (EUA, principalmente) podem ser tentadores, programe o que você quer comprar antes de viajar, como celulares, computadores, câmeras, etc.



7-) Souvenirs: por experiência própria eu aviso: não compre todas as lembrancinhas fofas que aparecerem, porque no fim, você vai presentear quem não merece e nem faz questão! Antes de embarcar, faça uma lista com pessoas especiais que merecem um souvenir, e para comprá-los, eu sugiro lugares afastados de pontos turísticos, porque uma Torre Eiffel pode custar 30 ou 10 euros, basta fugir do burburinho dos turistas.

http://misadventureswithandi.com/2011/01/jadore-11.html
8-) Intercâmbio: se você quer estudar fora, tem duas alternativas: se virar nos 30 para resolver tudo sozinho, ou contratar uma agência especializada. Apesar de ser mais caro, eu não acho válido lidar sozinho com toda a burocracia, principalmente se você precisa de visto, sabem por quê? Porque agentes de intercâmbio já sabem o que fazer, vão facilitar a sua vida em 100%, dão dicas como ninguém, e ainda há uma maior confiança na hora da Imigração, quando você apresenta a agência que contratou.
Nada te impede de encarar a papelada sozinho, mas eu garanto que é um dinheiro que vale a pena.
P.S: minha agência é a Experimento!

É isso, gente, espero que tenham gostado e aproveitem as dicas, boa viagem!







0 comentários: