Tá perdido?

Carregando...

Sobre nós

Curta!

Seguidores

Twitter

Siga por e-mail

Siga!

Eu leio Brasil

Pai bárbaro

Loja do leitor

Meise está lendo

Isadora está lendo

Favoritos de Meise

Favoritos de Isadora

Tecnologia do Blogger.

Link us

Viciadas em Livros

Arquivo do blog

12 de abril de 2013

Apresentação + Resenha: Ladrão de Almas.

Kleane Souza, 19 invernos, blogueira e viciada em livros. Ama apaixonadamente e se entrega a tudo o que lhe desperta o interesse. Tem a estranha mania de falar de si mesma em terceira pessoa.  É obcecada pelo escritor norte americano Jack Kerouac. Sua maior ambição é colocar o pé na estrada e aprender com o mundão, conhecer a vida e sorver tudo o que ela tem a oferecer, pois possui a convicção de que momentos memoráveis são tudo o que vai lhe restar um dia. Suas obras favoritas são ''On the Road'' de Jack Kerouac, ''Os Subterrâneos'' de Jack Kerouac, ''O Morro dos ventos uivantes'' de Emily Bronte, entre muitos outros. Ama The Vampire Diaries, cinema, maquiagem, Homem de Ferro e ser mimada  pelo o noivo - com quem namora há mais de seis anos. Não gosta de calor, Coca-Cola e de pessoas, livros ou coisas pretensiosas. Sua citação preferida é: ''Todas as coisas boas são selvagens e livres.'' de Henry Thoreau. Colunista nova na equipe do Viciadas em Livros, vai escrever resenhas, dicas, novidades e tudo que gire em torno do universo literário, todas as Quintas-Feiras.  Agradece - do fundo do coração - por ter sido tão bem acolhida pelas meninas do blog. <3 

♥♥♥♥♥

Resenha: Ladrão de Almas.

  •     Título: Ladrão de Almas
  •     Autora: Alma Katsu
  •     Editora: Novo Conceito
  •     Páginas: 430
No turno da noite de um hospital no estado do Maine, o Dr. Luke Findley espera ter outra noite tranquila. Mas, no momento em que Lanore McIlvrae - Lanny - entra no pronto-socorro, muda a vida dele para sempre. Uma mulher com passado misterioso. Lanny não é como as outras pessoas que Luke conheceu. E Luke fica atraído por ela, mesmo sendo suspeita de assassinato; e conforme Lanny conta sua história, uma história de amor e uma traição consumada que ultrapassam tempo e mortalidade, Luke se vê totalmente seduzido. Seu relato apaixonado começa na virada do século 19 na mesma cidade de St. Andrew, consumida pelo amor que sentia pelo filho do fundador da cidade, Jonathan, Lanny fará qualquer coisa para ficar com ele para sempre. Mas o preço que ela tem de pagar é alto - um laço imortal que a prende a um terrível destino por toda a eternidade. E agora, dois séculos depois, a chave para sua cura e salvação depende totalmente de seu passado. De um lado um romance histórico, de outro uma narrativa sobrenatural, Ladrão de Almas é uma história inesquecível sobre o poder do amor incondicional, não apenas para elevá-lo e sustentá-lo, mas também para cegar e destruir.


O amor em sua versão mais perversa. 


   As sensações que Ladrão de Almas, primeiro livro da trilogia Taken, de Alma Katsu, proporcionou a mim, começou quando eu me deparei com a capa. O misto de sensualidade e mistério impressos em tons escuros me fez, de pronto, garantir o livro. A sinopse é outro ponto convidativo e logo eu estava envolta na expectativa de por as mãos no meu exemplar. Finalmente o livro chegou e, quando terminei a leitura, lá estavam as sensações outra vez, oscilando entre fascínio e frustração, sem me deixar decidir se o livro era ruim ou maravilhoso.  Alguns dias - e uma ressaca literária - depois, optei pelo meio-termo. 

    A história começa com Luke, um médico cuja vida está repleta de problemas. Em um dos seus plantões, a polícia leva até o hospital uma garota de aparência jovem demais acusada de assassinato. Assustada, ela implora para que Luke a ajude em sua fuga e em troca, ela contaria a ele a verdade sobre sua história. Após relutantemente concordar, Luke mal consegue acreditar quando a garota começa a contar sua longa trajetória. 

   Ela é Lanore McIlvrae e nasceu no fim do século XIX. Sua história começa a ser contada a partir do primeiro contato que teve com Jonathan, seu amor eterno. Somos transportados para a Maine de 1809, mais precisamente para a puritana cidadezinha de St. Andrew, onde a família do jovem e estonteantemente lindo Jonathan é a fundadora da cidade. Lanore e Jonathan crescem como bons amigos, até que, finalmente, passam a ser amantes quando são jovens adultos. Grávida, Lanore sofre ao saber que desposá-la não está nos planos do seu amado, uma vez que ele está noivo de outra garota - um relacionamento fruto de um acordo arranjado. Lanore é mandada para Boston por sua família, onde ela poderá ter seu filho indesejado em um convento, mas seu amor enlouquecido por Jonathan a faz repudiar a ideia de ter o filho dele arrancado de seus braços, então ela foge. Desamparada e perdida nas agitadas ruas de Boston, ela cruza com pessoas que mudariam sua vida para sempre. 

   Este é apenas o começo de uma história muito longa. O livro é rico em personagens e cenários que são relatados competentemente. Há uma peculiaridade na obra de Katsu: cada um de seus personagens tem suas histórias devidamente contadas, tornando-os bastante reais. Vale ressaltar que o personagem antagonista rouba totalmente a cena; Seu nome é Adair e ele é responsável pela imortalidade de Lanore. É de longe o melhor personagem da trama: ambíguo e atroz, bastante complexo e muito bem elaborado, embora tenha tido um desfecho decepcionante. 

   O livro também é bastante sexual. Aqui, o sexo é usado como recompensa e punição, rendendo cenas que vão de orgias bissexuais consensuais à estupros. Lanore aprende a arte da sedução e a ser sexualmente livre enquanto vive na mansão de Adair. Instruída a lidar com o relacionamento físico de uma forma puramente carnal, sem necessidade de sentimento, ela aprende a explorar sua sexualidade e se diverte com as mil possibilidades, deixando para trás a mocinha puritana do interior. Mas apesar de não fazer objeções a encontrar satisfação carnal em corpos desconhecidos, ela ainda ama Jonathan com a mesma intensidade de sempre e seus sentimentos parecem expandir-se ainda mais quando o destino os une novamente. 

   Gosto de como a intensidade do amor que ela sente por Jonathan é retratada. Não há melodrama juvenil aqui, é um sentimento muito mais sério, muito mais vívido e muito mais destrutivo. É um amor atemporal, capaz de transcender a tudo, embora seja um sentimento unilateral onde apenas ela o alimenta. Lanore vive a desgraça de amar eternamente sem ter o seu amor devidamente recompensado; e o que seria pior do que desejar algo e não ter, não apenas por alguns anos, nem por uma vida, mas sim por uma eternidade? 

   As emoções mais vis de personagens cruéis são trazidos à tona com maestria. Egoísmo, maldade, a face perversa do amor... Somos convidados a observar de perto o que o ser humano é capaz para ter consigo seu objeto de desejo, usando meios sórdidos para os fins que almejam. 

   Apesar dos muitos pontos altos, Ladrões de Almas é repleto de pequenas falhas. Katsu parece ter certo apreço por detalhes, mas por vezes ela exagera, tornado a linguagem um tanto prolixa e consequentemente, a leitura enfadonha. Além disso, a história demora muito para engatar - no meu caso, na metade do livro - e, caso vocês não tenham percebido, a trama parece carregar os mesmos contornos de Entrevista Com o Vampiro, de Anne Rice - Um ser antigo e sobrenatural contando sua história para alguém - e vez ou outra eu me me flagrava pensando: ''Ela poderia ter sido um pouquinho mais original''. 

    Nem ruim, nem maravilhoso: Bom. É o máximo que eu posso dizer. 


É isso gente, espero que tenham gostado da resenha e gostaria de me desculpar por eu ter postado tão tarde. Aparentemente, meu computador tem vida própria e só funciona quando quer, mas vamos fingir que não passou da meia noite e que ainda é Quinta-Feira, certo? *-*

Até a próxima!

5 comentários:

  1. Gostaria de sugerir o livro de frases Desaforismos de Georges Najjar Jr. Depois de ler, você vai querer reler várias vezes. É ótimo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela dica, vou pesquisar sobre ele :)

      Excluir
  2. Ganhei esse livro em um top comentarista de outubro e até hoje não recebi. Na época, minha curiosidade era mínima, agora tenho muita vontade de ler. :(
    Não acho que vou me surpreender, tenho a impressão de que vou ter a mesma opinião que você: nem ruim, nem maravilhoso.

    Coral,
    http://universeforwords.com

    ResponderExcluir
  3. Gostaria de sugerir o livro "Colecionador de Lagrimas" de Augusto Cury, eu queria ler, mas gostaria saber se é bom.

    E um livro que eu li nesses dias e amei foi "Júlia" de Roberto Gomes, recomendo.

    ResponderExcluir
  4. Oi adorei.. muito obrigado, amei a maneira que vc usou para descrever essa resenha...me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda
    www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir

A leitura é uma porta aberta para um mundo de descobertas sem fim. - Sandro Costa

Obrigada pela visita. Sinta-se a vontade para dar sugestões, fazer críticas ou elogios!